A exibição do filme Ensaio sobre Cegueira, do diretor brasileiro Fernando Meirelles ontem, no festival de Cannes dividiu. Os jornais de hoje que estão cobrindo o evento classificaram em sua maioria como “silêncio e o desconforto deixados no ar” a exibição de ontem. Em coletiva de imprensa, Meirelles afirmou que o filme é “um tanto complexo para interpretação”. Uma jornalista britânica enxergou no filme um subtema do “abandono estatal”, como o observado durante a tragédia do Katrina, em Nova Orleans, algo que, para o olhar brasileiro, poderia já ter uma leitura nacional em relação às prisões do país.

Segundo o crítico do Jornal do Commercio Kleber Mendonça Filho, enviado para cobrir o evento, “O filme deixa sensação curiosa no espectador ao investigar os efeitos da ‘treva branca’ que o prêmio Nobel José Saramago descreve no seu livro, ‘um mar de leite’ que chama a atenção pela luz, e não a escuridão. A sensação parece marcada por um reconhecimento do esforço de produção, mas também pela já citada sensação de um terreno já muito trilhado.”

Leia Mais
Cineasta Anna Muylaert lança novo livro de contos, Quando o Sangue Sobe à Cabeça