Acabou La Tequila, um dos principais nomes do rock alternativo dos anos 1990, foi uma importante referência para os artistas que vieram depois e seus integrantes, bem jovens na época, continuam contribuindo com a cena musical até hoje. Os dois álbuns de sua curta discografia Acabou La Tequila (Excelente Discos/Polygram/ 1996) e O Som da Moda (Ping Pong/ 2004) finalmente chegam ao formato digital.

Com Nervoso (bateria e voz), Alexandre Kassin (guitarra), Venatinho Renenoso (guitarra e voz), Léo “Massacre Completo” (bateria e percussão) e Donida (baixo), o auto-intitulado álbum de estreia trazia referências de ska, hardcore, reggae, funk e uma mistura de ritmos latinos. Produzido por Tom Capone e Kassin, com direção artística de Carlos Eduardo Miranda, o disco também teve duas faixas produzidas pelo Chico Neves e o tom do trabalho era de total liberdade.

“Nossa identidade era não ter identidade, vários músicos com muitas influências, cantando em línguas e ritmos diversos” – comenta Nervoso. “Acabou La Tequila” chega através da Deck aos aplicativos de música.

O selo de Nervoso, Super Discos, também coloca nas redes o segundo álbum, “O Som da Moda”, que trazia a banda numa fase bem mais madura. Com produção de Kassin e Berna Ceppas, o trabalho contou com participações de Vitor Santos, João Donato, Rodolfo (na época nos Raimundos), Domênico Lancellotti, Bacalhau (na época no Planet Hemp), Rick Ferreira (requisitado guitarrista que tocou com artistas como Erasmo Carlos e Raul Seixas) e outros.

Ouça:

Ouça mais novidades musicais na nossa página Novos Sons!
Leia mais críticas de novos discos aqui na Revista O Grito!

Leia Mais
Sucesso de vendas, Black Hammer ganha quarto volume no Brasil