Adeus a Jean-Luc Godard, criador da Nouvelle-Vague e artista iconoclasta do cinema mundial

O diretor francês morreu aos 91 anos. Entre seus filmes mais famosos estão "Acossado" (1960) e "O desprezo" (1963), estrelado por Brigitte Bardot

Câmera na mão, espírito irriquieto: Godard era tido como gênio prolífico. (Reprodução/Twitter).

O cineasta francês Jean-Luc Godard morreu nesta terça (13), aos 91 anos. Ele foi um dos nomes mais importantes do cinema mundial e criador do movimento Nouvelle Vague, que nos anos 1960 trouxe um frescor de inovação estética e narrativa ao cinema. Entre seus filmes mais famosos estão Acossado (1960) e O desprezo (1963), estrelado por Brigitte Bardot.

Autor de mais de 40 longas-metragens em 70 anos de carreira, Godard foi um autor prolífico e produziu até seus últimos dias. Em 2018 ele concorreu à Palma de Ouro no Festival de Cannes com Imagem e Palavra. Em 2014 venceu a Palma no mesmo festival por Adeus à Linguagem. Em março do ano passado, ao completar 90 anos, Godard disse que pensava em se aposentar após fazer mais dois filmes. “Estou finalizando a minha vida no cinema – sim, minha vida de cineasta – com mais dois roteiros. Depois disso, eu direi: ‘Adeus, cinema!'”, disse à época.

Godard iniciou sua carreira como crítico de cinema. Em seguida iniciou seus trabalhos como diretor em filmes e documentários mais experimentais. Entre suas obras mais famosas estão Acossado (1960), tido como um dos clássicos absolutos do cinema francês e O Desprezo, outro sucesso, desta vez estrelado por Brigitte Bardot. Também fez Viver a Vida (1962), Alphaville e O Demônio das Onze Horas (ambos de 1965), Week-End à Francesa (1967), Carmen (1983) e Eu Vos Saúdo Maria (1985), um dos seus trabalhos mais polêmicos. O longa chegou a ser rejeitado pelo papa João Paulo II e proibido no Brasil por supostamente ofender a fé católica.

Godard foi um dos fundadores da Nouvelle-Vague. (Foto: Reprodução/MUBI).

Nascido em Paris em 1930, Godard vinha de uma família franco-suíça, filho de um médico e neto de um dos fundadores do banco francês Paribas. Conhecido pelo gênio contestador, ele ficou conhecido pelo estilo iconoclasta e pela personalidade irriquieta. Apesar de ser fundador da Nouvelle Vague, ele logo abandonou o movimento para buscar novas experimentações na linguagem cinematográfica. A cada filme ele trazia novas narrativas e estilos no roteiro e na filmagem.

Segundo a agência Reuters, a mulher do diretor afirmou que Godard “morreu pacificamente em casa, cercado de entes queridos”. A causa da morte não foi divulgada.

Leia Mais
Cantora Giovanna Moraes traz pegada rock and roll no disco Pra Tomar Coragem