O cartunista Angeli anunciou a aposentadoria após um diagnóstico de afasia, doença degenerativa que prejudica a fala e a comunicação e, com o tempo, incapacita a pessoa de falar e escrever. Aos 65 anos e com mais de 50 anos de carreira, o artista tornou-se um dos mais importantes quadrinistas do Brasil. 

O anúncio aconteceu nesta quarta no jornal Folha de S. Paulo, veículo que publica trabalhos de Angeli desde 1973. Ao G1, a família de Angeli diz que ele encerra a carreira de cartunista, mas não a de artista. Ele deverá seguir produzindo, mas agora de maneira mais tranquila. 

Foto: André Seiti/Itaú Cultural.

A afasia é toda e qualquer alteração da linguagem. Segundo a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBF), a doença se manifesta após um dano cerebral, que pode ser decorrente de um traumatismo cranioencefálico, tumor, aneurisma, infecções e até alguns tipos de demência. Recentemente, o ator Bruce Willis anunciou sua aposentadoria após o diagnóstico. Sharon Stone, Emilia Clarke e Kirk Douglas, entre outros, já anunciaram ter afasia.

Conhecido por sua estética punk, Angeli iniciou a carreira em 1973 com a tira Chiclete com Banana, que imortalizou personagens como Bob Cuspe, Rê Bordosa, Wood & Stock e muitos outros. A tira tornou-se uma revista homônima em 1985, época que deu início à era de ouro dos quadrinhos underground no Brasil. 

Em celebração aos 50 anos de carreira, a Companhia das Letras prepara para este ano uma coletânea com as melhores tiras de Angeli, em dois volumes, com cerca de mil trabalhos. A editora também mantém em seu catálogo antologia com os personagens mais famosos do cartunista, como “Todo Rê Bordosa”, “Todo Bob Cuspe” e “Todo Wood & Stock”. 

Leia Mais
Guaiamum Treloso Rural retorna ao presencial neste sábado com shows de Johnny Hooker, Jader, Potyguara Bardo e Cordel do Fogo Encantado