Após discurso antissemita, Kanye West tem redes sociais bloqueadas

As contas não foram deletadas, porém o rapper está impossibilitado de publicar novas postagens

(Foto: Reprodução Twitter / twitter.com/HypeNeverDies)

O rapper Kanye West, ou Ye como agora é chamado, teve suas contas no Instagram e Twitter restringidas após a disseminação de mensagens antissemitas. Além da restrição (que não deleta a conta, mas bloqueia novas publicações), as plataformas realizaram também a remoção dos conteúdos das postagens.

O primeiro bloqueio partiu da Meta, empresa que administra o Instagram, na última sexta-feira (7). Posteriormente, no sábado (8), o artista voltou a reproduzir o antissemitismo através de sua conta no Twitter.

O episódio, porém, não é isolado e se soma a uma extensa lista de declarações racistas, sexistas, e até mesmo gordofóbicas, que partem do rapper. Um dos casos mais recentes aconteceu na última segunda-feira (3), quando West vestiu uma camiseta com a frase “White Lives Matter” (Vidas Brancas Importam, em português) durante o desfile de sua grife na Semana de Moda de Paris.

Segundo a Anti-Defamation League, organização não-governamental que atua no combate a discursos de ódio, a frase se originou no início de 2015 como uma resposta racista ao movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em português) e, desde então, tem sido reproduzida por grupos supremacistas brancos, incluindo a própria Ku Klux Klan.

Com informações da Reuters e Rolling Stones.

Leia Mais
Clássico Orgulho e Preconceito ganha nova publicação com ilustrações