"É no consumo que todo mundo se encontra". (Foto: Divulgação).

“É no consumo que todo mundo se encontra”. (Foto: Divulgação).

O consumo na era da diversidade. Foi com esse conceito que o artista plástico e produtor cultural Aslan Cabral criou o novo projeto Shoppinh Gay, que estreia no Recife no próximo dia 20 de dezembro, no Edifício Pernambuco, no Centro.

Idealizado por , com apoio do Coletivo Sexto andar e Caio Alves, o Shopping Gay será um enorme mercado livre que venderá de arte, moda autoral, além de contar com brechó, sebo de livros e antiquário, junto a apresentação de performances, DJs, oficina de vogue e pocket-desfiles. A palavra GAY usada no nome do evento é tanto uma provocação quanto uma afirmação dos gêneros na sociedade atual.

gay

Conversamos com Aslan sobre esse novo projeto:

Como surgiu a ideia de fazer o Shopping Gay? Qual a proposta?

Como artista e agente cultural me vejo constantemente provocado a criar estratégias sobre como propor discussões sociais de uma maneira que refresque as dinâmicas já estabelecidas. Nessa obra, chamada Shopping Gay, a ideia surge com a ideia de citar, dialogar com o tag gay de uma maneira cultural, econômica e não apenas sexual. A proposta é híbrida. Se apresenta materialmente como um dia de encontro para consumo de objetos mas na verdade estamos a todo tempo atrelando o “gay” a uma seara onde não existem diferenças, discriminação.

Afinal o capital financeiro pouco importa com quem você deita, não é isso? Madonna canta, a gente compra, ninguém pode escapar… vivemos em um mundo materialista. O shopping gay é mercado livre e relacional que existe com o objetivo de fazer reconhecer a universalidade dos gays para além desse estigma sexual. Por exemplo, faça uma busca no Google com a palavra gay. Fez? São páginas e páginas de clichês exclusivamente ligados a impulsos sexuais. Porém, eu garanto, os gays são muito mais!

Recife está cheia de produtoras, criadores, marcas, enfim, muita gente fazendo trabalhos criativos. Como vocês enxergam esse atual momento da cidade?

Total. Também se trata, dentro desse hibridismo proposto pelo shopping gay, de movimentar a cadeia produtiva de jovens estilistas, artistas, figurinistas e cool hunters que nossa cidade tem. Massa é saber também que Shopping Gay vai ter a presença da El Patio de Maceió e de Marc Andrade, jovem estilista de Taquaritinga. Tem muita gente ligada no movimento e chegando junto para participar, está bonito mesmo.

Artes plásticas também estarão expostas e Carol Falcão, consultora de moda, vai falar sobre estilo num momento bate papo. Um ensaio de fotos do Carlos Cajueiro, gravuras de Nathalia Queiroz, pinturas de bordados da Vertigem. Vários amigos juntos farão “unidos do brechó” e também tem brechó de Carol Azevedo. Acre e Coreto vem com moda autoral e ainda teremos brechó de fantasia de carnaval, capitaneado pela musa Maria do . Allana Marques vai tocar pra gente.
Vai ser babado!

Bordados da Vertigem estarão no evento. (Divulgação).

Bordados da Vertigem estarão no evento. (Divulgação).

O uso da palavra “GAY” foi uma provocação? Como se deu a escolha do nome?

O título é um jogo de palavras que junta shopping por estar ligado ao consumo, e gay pela liberdade e ousadia. Além disso, ficou muito engraçado como o Shopping Gay virou imediatamente um trocadilho com o formato Shopping Day de Camila Coutinho. Eu gosto de reforçar que embora no título seja a palavra Gay que talvez chame mais atenção, acredito que seja “Shopping” a mais importante. Porque é nesse plano onde as coisas se igualam inquestionavelmente no sistema vigente. Venham todos ao shopping, é para todas as famílias.

O Shopping Gay tem entrada gratuita e funcionará dia 20 de dezembro (sábado) das 10h às 20h.

A moda autoral do ACRE no Shopping Gay. (Divulgação).

A moda autoral do ACRE no Shopping Gay. (Divulgação).

Sem mais artigos