A série Asterix é uma instituição dentro do enorme mercado franco-belga de quadrinhos. Seu poderio de imagem e influência compete com os grandes: super-heróis da Marvel e DC, Disney e compatriotas como Tintim. As HQs do famoso gaulês serão agora lançadas pela Panini, segundo informou o Universo HQ (e depois confirmado pela editora).

Criado em 1959 por René Goscinny e Albert Uderzo, Asterix conta a história de um grupo de gauleses resistindo à dominação romana. Publicados em todo o mundo, a série foi adaptada para os cinemas em mais de uma ocasião e é uma força na cultura pop com um merchandising pesado. Porém, sua publicação em quadrinhos é bastante regular, com novos álbuns saindo todos os anos.

A publicação da Panini começa em março e terá um total de 38 encadernados, além de três livros. Os preços e formatos não foram revelados. Com os direitos de Asterix, a Panini passa a concentrar em seu catálogo a maior parte das mais populares séries mainstream dos quadrinhos (a editora lança no Brasil títulos da Marvel, DC Comics, Star Wars, The Walking Dead, entre outros).

_ Os lançamentos da Veneta para 2020
_ Gibrat finalmente chega ao Brasil pela Pipoca e Nanquim

No Brasil, Asterix começou saindo pela Bruguera (com nove álbuns), depois Cedibra (24 edições), Círculo do Livro (uma edição) e RGE (em formato de bolso). Mas foi a Record a mais longeva, o que ajudou a popularizar a série. Foram 36 álbuns lançados. A Salvat chegou a iniciar uma coleção, mas ela não avançou da fase de testes.

Recentemente, a série divulgou a primeira personagem feminina com protagonismo, Adrenaline, que fez sua estreia no 38º título da coleção. A HQ atualmente é escrita por Jean-Yves Ferri e desenhada por Didier Conrad.

Leia Mais
Bajado e a arte do graffiti inspiram o FAROL – Festival de Arte de Rua de Olinda