O artista Bajado e a arte do graffiti inspiram o FAROL, novo Festival de Arte de Rua de Olinda, que acontece de 22 a 26 de Janeiro no Sítio Histórico da cidade.

A Casa Balea, a Nyx studio, o Sana, que funcionam na rua Treze de maio, 99, em Olinda, com o apoio dA Casa do Cachorro Preto, realizam esta primeira edição do festival.

Com uma programação voltada para as artes visuais, o graffiti será o tema desta vez. Serão cinco dias de atividades e programações para o público, em sua maioria gratuitas.

O Festival começa na quarta-feira, 22, com a exibição do curta-metragem Bajado, de Marcelo Pinheiro.  O documentário fala do pintor popular Euclides Francisco Amâncio, que se auto intitulava “Bajado, um artista de Olinda”. O filme traz diversas abordagens e interpretações de sua vida e obra, além de fazer uma imersão na rotina de “figuras” que parecem ter saído de dentro de seus quadros.

Na quinta-feira, 23, a partir das 19h30 o debate sobre a arte de rua na cidade de Olinda vai circular em uma mesa redonda, uma conversa aberta, entre artistas e interessados em fundamentar possíveis atividades e ações coletivas, incluindo a programação do próximo Farol. A Mesa é aberta e tem lugar para quem quiser participar. Raoni Assis, Max Motta e Raul Córdula, artistas moradores de Olinda, já confirmaram presença.

Na sexta, no sábado e no domingo, o Festival reúne artistas de rua para a pintura de dois painéis murais em inspiração e homenagem a Bajado por Raoni Assis, Max Motta, Rodolfo, Duff e quem mais quiser se chegar, só precisa trazer seu material e se juntar.  Durante a pintura dos murais, nos dias 25 e 26, os grafiteiros Max Motta e Rodolfo, darão uma oficina de graffiti. Nestes mesmos dias se apresentam no quintal do Sana, Djs, Mcs e grupos musicais. 

A realização do Farol faz parte do esforço de artistas, moradores e produtores em fazer acontecer a vocação cultural e artística de Olinda.

Leia Mais
Ave Sangria lança o primeiro clipe da carreira gravado no casarão do Teatro Magiluth