A multiartista , nascida em Pelotas (RS) e baseada em Porto Alegre (POA), anuncia ao mundo a chegada do seu novo álbum de estúdio: Semente. O disco que já teve as faixas “Os Ouvidos Têm Paredes”, “Dona Quixota” e “Coração de Papel” divulgadas conta com 12 canções gravadas no home studio de Bel, Estúdio Mar de Tralhas.

Muito influenciada pelo momento atual na pandemia, em que a tecnologia ditou novas relações com o tempo, Isabel Nogueira deu vida ao seu terceiro trabalho de estúdio com elementos do cyberpunk ao electropop.

As letras trazem questionamentos necessários ao contexto que a sociedade enfrenta. “Semente traz ao mesmo tempo a teia entre mulheres, que sigo articulando desde PeleOsso, traz o mergulho na ancestralidade e nas conexões além de mim, a partir de cânticos inventados onde drones se aproximam de mantras, e traz uma reflexão sobre as estruturas sociais, onde a escuta e o respeito às diferenças se fazem cada dia mais urgentes”, diz Bel.

Semeado entre lives online durante o isolamento social, o disco foi gravado e produzido pela dupla Bel e Luciano Zanatta. No time de músicos, o projeto contou com Lucas Giorgetta na bateria, João Pedro Cé na guitarra, Bruno Vargas no baixo e Luciano Zanatta no sax, sintetizador, samples, percussão eletrônica, guitarra e baixo. O filho de Isabel, Pedro Nogueira, fez sua estreia registrando as guitarras de “Coração de Papel”.

“PeleOsso” e “Luna” são os álbuns antecessores e dialogam com o novo trabalho que, por sua vez, marca o fim de um ciclo do projeto e o início de uma nova etapa. “Este disco tem raízes profundas em um inconsciente coletivo que é ao mesmo tempo marcado por construções sociais de gênero e arquétipos de diferentes faces de um feminino ancestral, plural, reinventado e ciborgue”, completa Bel.

Leia Mais
Metá Metá apresenta série de vídeos com repertório no trabalho solo de seus integrantes