Bastante imersivo, o álbum conta com diversas camadas que são descobertas à medida em que nos permitimos apreciar esse disco com calma.

mostra que o indie-rock ainda pode ser intenso e complexo com U.F.O.F.
NOTA8.5

O novo disco do Big Thief, banda de indie-rock do Brooklyn, EUA, apura ainda mais a estética de contemplação e detalhismo que fizeram a fama deste grupo. U.F.O.F., o terceiro registro traz novamente o vocal sussurrado de Adrianne Lenker e conta com produção de Andrew Sarlo.

Bastante imersivo, o álbum conta com diversas camadas que são descobertas à medida em que nos permitimos apreciar esse disco com calma.

Há muitas nuances e detalhes escondidos a cada interpretação dos vocais de Lenker, dos arranjos sutis de guitarra, da bateria precisa. Ela agora já consegue mais variações em seu canto, como podemos ver na pesada “Betsy”. Há um tom mais dark que os dois discos anteriores e as letras agora divagam de maneira ainda mais subjetiva, tendo como subtexto o encontro com o desconhecido (por isso o nome do disco remeter a OVNIs).

U.F.O.F. é um trabalho que requer múltiplas audições para que possamos criar um relacionamento. Certamente será algo recompensador.

BIG THIEF
U.F.O.F.
[4AD, 2019]

Sem mais artigos