Foto: Hannah Carvalho.

Cobertura: Milton Nascimento emociona público pernambucano com show de despedida dos palcos

Turnê A Última Sessão de Música é uma reunião de clássicos da carreira de Bituca

Fotos de Hannah Carvalho

Milton Nascimento – A Última Sessão de Música
Show de abertura com Zé Ibarra
Arena Pernambuco, Recife – PE, 11 de setembro de 2022

No vídeo de abertura do show A Última Sessão de Música, o público já ansioso por ver o ídolo no palco assiste a um apanhado da carreira desse músico precioso. O anúncio “O mundo está prestes a ver Milton Nascimento em sua última sessão de música” é um prenúncio das fortes emoções que o espetáculo entrega. O vídeo faz um passeio de uma das mais longevas e relevantes carreiras da história da música brasileira.

Milton tem 80 anos completos sendo 60 décadas dedicadas à música. Com 42 discos de carreira, a lenda correu mundo com sua voz singular, tendo sido indicado ao Grammy por nove vezes e ganhado cinco delas. Suas parcerias ao longo dos anos incluem de Tom Jobim, Elis Regina, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Gal Costa, Rita Lee e Eumir Deodato a Mercedes Sosa, Quincy Jones, Herbie Hancock, Björk e Wayne Shorter.

Credenciais que enriquecem cada um dos medalhões citados tanto ou mais que o próprio Milton, ou melhor, Bituca. E por falar em amizades-parcerias, os convidados da turnê refletem essa capacidade dele em somar com estilos tão distintos para obter sua música. A cantora Simone, que fez uma participação especial no show do Recife, e o músico Zé Ibarra (da banda Bala Desejo), que tem se apresentado com a banda nos shows da Última Sessão de Música.

O repertório maravilhoso contempla todas as fases da carreira do “mais mineiro de todos os cariocas” que conhecemos, nas palavras dele. Com um exuberante figurino de autoria de Ronaldo Fraga, Bituca presenteou o público da Arena Pernambuco com um setlist precioso.

O repertório maravilhoso contempla todas as fases da carreira do “mais mineiro de todos os cariocas” que conhecemos, nas palavras dele. Com um exuberante figurino de autoria de Ronaldo Fraga, Bituca presenteou o público da Arena Pernambuco com um setlist precioso.

Se já tinha gente chorando no prelúdio, quando a banda subiu ao palco montado no meio do estádio de futebol, mais lágrimas embaçando óculos de jovens universitários a fãs que viram trabalhos como Minas, e Geraes e Native Dancer serem lançados. “Ver todos vocês aqui é a prova de que meus sonhos não envelheceram”, disse Milton, emocionado, antes de entoar “Clube da Esquina 2”. Foi um show bastante emotivo, para público e artistas, o que foi sentido pelo tom de conversa que o músico manteve durante todo o show. “Obrigado por fazerem minha vida tão especial”, disse Bituca, em que o público respondeu “você que nos faz especial”, entre outros elogios.

“Ponta de Areia”, “Vera Cruz”, “Para Lennon e McCartney”, “Cais”, “Tudo o que você podia ser”, “Nada Será Com Antes”, “Fé Cega/Faca Amolada”, “Volver a Los 17”, “Peixinhos do Mar + Cuitelinho”, a sequência extasiante de “O Cio da Terra”, “Caçador de Mim” e “Canção da América”, tudo que foi interpretado fez da despedida dos palcos de Milton Nascimento um ato sacro entre ídolo e fãs. Ainda teve um bis com “Coração de Estudante”, “Maria Maria”, “Encontros e Despedidas” e “Travessia”, para sorver por mais tempo a saída de cena de Bituca.

Leia Mais
Entrevista com Eleanor Davis: histórias que surgem da mente e do coração