Coletivo Angu de Teatro comemora 20 anos de história no Janeiro de Grandes Espetáculos

Três peças serão apresentadas no período de 27 a 29 de janeiro, nos teatros do Parque e Apolo

Espetáculo Ópera. (Divulgação).

O Coletivo Angu de Teatro, um dos mais reconhecidos grupos teatrais da cena nordestina, inicia as comemorações de seus vinte anos de existência na 29ª edição do Janeiro de Grandes Espetáculos. Para esta celebração, serão apresentadas as marcantes peças Ópera, Ossos e Angu de Sangue no período de 27 a 29 de janeiro, nos teatros do Parque e Apolo.

A primeira apresentação a subir ao palco, em exibição única, será Ópera, no dia 27, no Teatro do Parque, com faixa etária de 16 anos, que conta com a participação do cantor Almério; no dia 28, Ossos será apresentada, em duas ocasiões, às 18h e às 20h para um público acima de 18 anos, trazendo a primeira dama Trans do teatro pernambucano, a atriz  Sharlene; e no dia 29, será a encenação de Angu de Sangue, às 17h e 18h, nos palcos do Teatro Apolo.

Os ingressos estão sendo vendidos no site do Janeiro de Grandes Espetáculos.

O Angu de Teatro foi criado em 2003, a partir da ideia de André Brasileiro de montar o espetáculo Angu de Sangue, convidando os amigos e artistas Marcondes Lima, Fábio Caio, Gheuza Sena, Hermila Guedes e Ivo Barreto, para a montagem do premiado espetáculo, que tem texto do escritor pernambucano Marcelino Freire. Desde então, o grupo vem se destacando com seus trabalhos por todo país. Além dos espetáculos, o grupo de destaca por projetos paralelos, como os experimentos Espectacular Espectaculoso (Experimento cênico-gastronômico) e Angu de Canções. Também com projetos na área formativa e de pesquisa, como o Mexendo o Angu e oficinas como TRANS na CENA, O Teatro é o Outro (Com Maurice Durozier/Theatre du Soleil/RF) e O Corpo Musical (Com JeanJacques Lemetre/Theatre du Soleil/FR), entre outras.

Confira as sinopses dos espetáculos:

ANGU DE SANGUE (2004): O espetáculo multímídia conta 10 estórias de forte intensidade dramática, contos na íntegra do escritor pernambucano Marcelino Freire, interligadas através de vídeo e música.  Angu de Sangue desperta emoções e questionamentos ao mostrar de maneira crua a realidade urbana nas grandes cidades, falando sobre solidão, desigualdade social, preconceito e descaso.

ÓPERA (2007): O texto ÓPERA, do autor e dramaturgo pernambucano Newton Moreno, traz uma radiografia da realidade brasileira, uma contundente crítica social que com o humor ácido característico do grupo, estimula o espectador a questionar os valores e as dificuldades do nosso tempo. O espetáculo investiga as possibilidades de cruzamento estético entre o homoerotismo/sexualidade e teatro. Com temática LGBTQIA+, pretende projetar reflexões, a partir de um compromisso sério com a dramaturgia e linguagem contemporânea. Não apenas na dimensão do tema sexualidade, mas principalmente na afirmação das diferenças que compõem a nossa identidade.

OSSOS (2016):  Esta é uma história de amor, exilio e morte. Mediado por interferência de um coro de urubus, o dramaturgo Heleno de Gusmão empreende uma viagem de volta a suas lembranças e origens, a pretexto de entregar os restos mortais do seu amante aos familiares do mesmo. Os fatos são apresentados de modo não linear, embaralhando começo, meio e fim. Uma parte se desenrola num submundo paulistano, povoado por diferentes classes de retirantes nordestinos, e outra sena estrada que leva o escritor até Sertânia, no interior de Pernambuco.  

Serviço:

Maratona Angu com três espetáculos: Óssos, Ópera e Angu de Sangue

Espetáculo Ópera

Data: 27.01

Horário: 20h

Local: Teatro do Parque

Faixa etária: 16 anos

Espetáculo Ossos

Data: 28.01

Horário: 18h e 20h

Local: Teatro Apolo

Faixa etária: 18 anos

Espetáculo Angu de Sangue

Data: 29.01

Horário: 17h e 19h

Local: Teatro do Parque

Faixa etária: 16 anos

Leia Mais
CCXP22: Magali, Xaveco e Do Contra são os próximos lançamentos inéditos do selo Graphic MSP