Chegou a segunda parte da compilação Desorden Y Progreso que tem como destaque a artista gaúcha , uma das grandes revelações de 2019.

A compilação é organizada pela plataforma mexicana  apresenta sua segunda parte cheia de artistas brasileiros da nova geração da música eletrônica. L’Homme Statue que teve seu single lançado em dezembro de 2019, “Egoísta”, retorna para entrar nesta parte da coletânea.

A inquieta Saskia aparece com a música mais política dessa leva, tratando sobre o racismo enquanto toma uma no bar em “Desce mais uma”, que tem produção do sul africano Griffith Vigo.

Outro artista que também faz dobradinha na coletânea é o brasiliense JLZ, que em parceria com o produtor Goro apresenta “No Name”. Mesmo com uma carreira ainda curta para o mercado musical sua pesquisa dedicada ao aforbeat já o fez trabalhar com nomes como: Baco Exu do Blues, Linn da Quebrada e Sángo. Em “No Name” o suingue é diferente e ele explora o bass e faz um som próximo ao trap.

Fechando esta sequência temos Mari Herzer com “Xintopia”, conhecida DJ da cidade de São Paulo que trabalha na festa Mamba Negra, mas já estrelou o line up de vários eventos importantes como a Odd e Caplock.

A compilação Desorden Y Progresso fez uma seleção de nomes quentes da cena atual eletrônica brasileira feita pelo produtor Béco Dranoff e Lucia Anaya, diretora de A&R da ONDA MUNDIAL. Ela foi dividida em quatro partes sendo a terceira prevista para maio de 2020 e a quarta e última parte para junh6o de 2020. Nomes como Brisa Flow (MG), Teto Preto (SP), Telefunksoul (BA)DJ Patricktor4 (BA), DJ Tudo (SP), Linn da Quebrada (SP), ainda estão por vir, entre outros.

Leia Mais
Xiu Xiu anuncia novo disco com participação de Sharon Van Etten, Twin Shadow e Owen Pallett