Conjunto de obras aborda a independência do Brasil com uma perspectiva pernambucana

Coleção Pernambuco na Independência é um lançamento da Cepe Editora

Capa de Pernambuco na Independência do Brasil: Olhares do nosso tempo - George F. Cabral de Souza. (Divulgação).

Aproveitando que setembro é o mês do Bicentenário da Independência do Brasil, a Cepe Editora lança a Coleção Pernambuco na Independência (1822-2022). Com dez livros ao todo, o material traz um olhar sobre o tema na perspectiva pernambucana, provando que a emancipação do país vai além das ações de personagens do centro do poder imperial e possui raízes nas lutas ocorridas em várias províncias. A metade do conjunto será lançada nesta quinta-feira (29) no Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP), no bairro da Boa Vista, às 19h.

“A coleção é um esforço de conjugar leituras contemporâneas sobre o processo da Independência, com textos clássicos e documentos de época”, afirmou o historiador e coordenador científico da coleção, George Félix Cabral de Souza. 

Os livros buscam restaurar verdades históricas, à medida que revelam o papel de Pernambuco no protagonismo diante de um período que vai da chegada da Família Real, em 1808, até a Confederação do Equador, em 1824.

Confira as sinopses dos primeiros títulos a serem lançados:

Liberais e liberais: Guerras civis em Pernambuco no século XIX – Socorro Ferraz

O estudo contribui para a discussão do papel das revoluções e insurreições fundamentadas na ideologia liberal, em Pernambuco, no século XIX, durante o processo de Independência do Brasil. A falta de um consenso sobre a formação do Estado nacional gerou conflitos que se apoiaram nas duas faces do liberalismo: uma que enfatiza a sociedade civil, em oposição ao Estado; a outra que encontra no Estado o garantidor da liberdade individual. Ao ganharem força as ideias liberais radicais de Frei Caneca, que se colocaram em oposição ao liberalismo orgânico que fundamentava os escritos e ações de José Bonifácio de Andrada e Silva, esses dois modelos de liberalismo se enfrentaram pela política, pela astúcia e pelas armas.

1821: A “revolução” liberal em Goiana e a queda do general Luís do Rego – Josemir Camilo de Melo

Resultado de pesquisa inédita, o relato de Josemir Camilo situa a atuação dos liberais de Goiana no movimento libertário que levou à formação da República instituída pelos pernambucanos em 1817, que durante 74 dias estiveram livres do jugo português. O autor resgata o conturbado ambiente de violenta repressão que se sucedeu ao movimento, sob a tutela do general Luís do Rego, enviado por Dom João VI a Pernambuco. Em Goiana, o general teve de enfrentar as investidas dos jovens dispostos a pegar em armas pela Independência, que marcharam para o Recife a fim de participar do cerco às tropas do governo e suas estratégias no trato com o governador da província.

Pernambuco na Independência do Brasil: Olhares do nosso tempo – George F. Cabral de Souza

A publicação pretende oferecer uma visão sobre como ocorreu o processo de Independência em Pernambuco e a partir de Pernambuco. Ao questionar interpretações cristalizadas na historiografia, os autores dos 10 textos desta coletânea provocam novas reflexões e jogam luz sobre questões que dialogam diretamente com a nossa problemática atual. Os textos são fruto das experiências de pesquisa e docência de especialista, versando sobre temas como a relação da escravidão e a Independência, o papel dos magistrados nas lutas políticas e os protestos, embates e guerras da época. Os autores dosam o rigor acadêmico e a fluidez do texto, construindo narrativas que são, ao mesmo tempo, acessíveis e densas.

Oliveira Lima: Obra seleta – História – André Heráclio do Rêgo

Considerado o maior historiador da Independência, o pernambucano Oliveira Lima fundamentava sua interpretação dos acontecimentos na documentação histórica incontestável, além da capacidade de correlacionar os contextos históricos internacionais e nacionais. Seu legado é reavaliado neste livro, em que se destaca o caráter interpretativo de sua obra. Oliveira Lima se propunha a alcançar uma visão integradora da História, para além das glórias militares, das guerras e dos acontecimentos políticos, mas também a História do povo, seu ambiente moral, as relações de dependência, a História geográfica da conquista do Sertão e a crônica íntima das relações entre os portugueses de Portugal e os do Brasil.

A propósito da Independência e do Império: Escritos de Gilberto Freyre – André Heráclio do Rêgo

O livro reúne textos pouco conhecidos de Gilberto Freyre, espalhados por obras coletivas e livros de outros autores. Seus tamanhos variam, indo do quase ensaio com várias páginas até as crônicas de uma página típica de sua colaboração jornalística. É uma coletânea dividida em quatro partes: a primeira contempla artigos dedicados por Gilberto Freyre ao tema da Independência, não só do Brasil, e as suas variantes. A segunda parte é dedicada ao estudo das revoluções e das tentativas de Independência que não deram certo, sobretudo as pernambucanas. A terceira traz os “perfis” de personalidades do movimento da Independência e do Império e a quarta e última parte aborda a ruptura e a continuidade entre os regimes monárquico e republicano.

Serviço:

Lançamento da Coleção Pernambuco na Independência (1822/2022)

Quando: 29.09 (quinta-feira)

Hora: 19h

Onde: Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP)

Endereço: Rua do Hospício, 120, Boa Vista, no Recife, com entrada franca;

Entrada franca.

Leia Mais
Valsa dos Cogumelos: livro de Rogério Medeiros narra a história psicodélica da cena musical pernambucana