Foto: Clara Gouveia/Divulgação.
Foto: Clara Gouveia/Divulgação.

Vai ter artes plásticas e música no encerramento da exposição “Tudo se Liga. Siga”, de Cristiano Artur, no próximo domingo (1º), a partir das 14h, na Galeria Janete Costa. O local se despede da mostra com várias atividades, entre discotecagem do estilista Sizenando Nunes, performance da artista Isabela Faria e pocket show da cantora Christina Jovita.

Leia Mais
Pós-punk:Cristiano Artur abre primeira expo após 20 anos

Para interagir com a individual de Cristiano, o estilista e também artista plástico Sizenando Nunes selecionou uma trilha sonora que dialoga com o universo pop do anfitrião. A partir das 14h, ele embalará o evento com um repertório eclético, mesclando rock, eletrônico, blues e jazz, com hits de GusGus, Björk, Natacha Atlas e 808 State, entre outros nomes.

Autora do projeto interativo “Dajaneladomeuonibus”, a artista Isabela Faria executará, às 18h30, a performance “No Ve Lo”, criada especialmente para a mostra. A obra consiste numa encenação em que a artista retira novelos vermelhos de uma maleta e destrincha-os com os pés, a fim de traçar, metaforicamente, os caminhos da própria vida. A ação se vincula à exposição ao refletir sobre as várias possibilidades que residem nas escolhas de trajetória de cada indivíduo.

A obra "A Calça", da série Blue Jeans. (Divulgação).
A obra “A Calça”, da série Blue Jeans. (Divulgação).

Já Christina Jovita apresentará um pocket show, às 19h, com músicas do seu primeiro álbum solo, previsto para ser lançado em abril. Ex-integrante do grupo de rock Tempo Nublado, surgido no Recife nos anos 1990, a cantora incluirá no repertório canções autorais, ao exemplo de “Rosas claras” e “Luz em corpo”, que aglutinam referências de Björk, Sinéad O’Connor, Gal Costa e Milton Nascimento.

Aberta em novembro do ano passado, a mostra “Tudo se Liga. Siga” é a primeira individual de Cristino reúne 100 peças em vários formatos, entre colagens, pinturas a óleo e grafite, nanquins, site-specific e instalações. Depois de quase duas décadas afastado do ofício, o pernambucano, também cabeleireiro, reuniu obras que realçam suas referências ao universo pop, entre ícones da música, do cinema e da moda.

Série Os insetos devoram tudo. Painel em óleo, colagem e desenho sobre lona. (Divulgação).
Série Os insetos devoram tudo. Painel em óleo, colagem e desenho sobre lona. (Divulgação).
Leia Mais
Exposição Cidadela Corpo mexe com o sensorial e mescla técnicas através de miniaturas