Crítica-Disco: Com nome maluco, quer apenas se divertir no rock
NOTA6

Formado em Nashville, polo de tradição musical nos EUA, o Diarrhea Planet surge para atender a uma demanda por som de garagem e heavy metal com tempero pop. Talvez o pior nome de banda dos últimos tempos, o grupo conseguiu entregar um trabalho que apela a necessidade de alguns em jurar fidelidade a uma possível normatividade roqueira.

LEIA MAIS
Estreia do Whitney é tipo um amor expresso de verão
Os fantasmas de Marissa Nadler
Beth Orton se reinventa na eletrônica
O pop queer da Tegan & Sara chega ao mainstream

Turn To Gold, terceiro álbum de estúdio, é cheio de momentos bem familiares, diversos arranjos reconhecíveis do melhor do hard rock e muitas linhas de guitarra que trazem apenas o básico. Conhecidos pelos sons enérgicos, cheios de solo e catarse (veja no YouTube), o Diarrhea Planet tem por objetivo o consumo a jato de um estilo muito particular da cultura pop. O fato deles não se levarem muito a sério ajuda a reforçar esse convite para a diversão pura e simples.

O disco tem bons momentos, como a divertida “Bob Dylan’s Grandma”, mas grande parte do disco é pouco memorável. As letras também não são prioridade. De certo, o grupo deverá encontrar seu nicho de fãs, mas é um som que ainda não leva nenhum gênero adiante.

diarrhea 4

Sem mais artigos