Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

reprocessa demais e surpreende pouco no disco de estreia

O trio pop Fear Of Men foi construindo uma imagem de vulnerabilidade desde 2012, quando lançou sua compilação de singles, repletos de faixas lânguidas sobrepostas por guitarras agudas e por vezes pesada. Em Loom os britânicos reforçam esse “charme” com um trabalho que evoca a atmosfera meio dramática, com inspiração dark, lo-fi, mas que não surpreende mais ninguém.

Há espaço no coração de ouvintes do rock independente para nomes como o Fear Of Men, mas todas as bandas que já se inspiraram no post-rock do final dos anos 1990 já experimentaram mudanças na sua sonoridade. É só ver os novos discos do The Pains Of Being Pure At Heart, The Horrors, entre outros, para ver que os dias pedem mais inovação na música pop.

O Fear Of Men chega atrasado o clube das bandas que querem soar como trilha sonora de dramas adolescentes. Suas músicas têm um apelo melancólico irresistível, é inegável, mas não vai além de um dever de casa em relação aos seus influenciadores. É notável também o talento do trio para criar melodias e refrões que conduzem o ouvinte sem muita dificuldade ao final do disco, como “Waterfal” e “Green Sea”. Faltou apenas arriscar mais com todo esse potencial. [Paulo Floro]

Fear-Of-Men-LoomFEAR OF MEN
Loom
[Kanine Records, 2014]

Nota: 6,0

Sem mais artigos