Foto: Divulgação/Matador.
Foto: Divulgação/Matador.
Foto: Divulgação/Matador.

Fucked Up reencontra raízes do hardcore em disco mais cru

A banda post-punk canadense Fucked Up retorna mais intensa em seu quarto disco de estúdio. O peso, os vocais guturais de Damian Abraham, os agudos de guitarra e a bateria monótona e frenética ainda resistem, mas agora de uma maneira ainda mais crua e menos experimental que os anteriores.

Leia Mais
Jack White em seu disco mais ambicioso

Glass Boys é um disco curto que traz um reencontro da banda com suas bases hardcore. É um contraponto claro ao trabalho sofisticado e experimental que vimos em discos como The Chemistry of Common Life (2008), mas isso não significa necessariamente que eles estejam sofrendo algum tipo de freio ou apatia. Aqui, certa “preguiça” em criar um álbum conceitual e ambicioso gerou um trabalho de muito vigor.

Sem querer explorar as barreiras da sonoridade que conseguiram até aqui, o Fucked Up decidiu entregar músicas mais densas, em busca das raízes do rock pesado. No contexto do indie atual, essa gana de explorar essas facetas do gênero e refletir sobre o significado do punk hoje ainda fazem do Fucked Up um grupo interessante para se acompanhar. [Paulo Floro]

fuckedupFUCKED UP
Glass Boys
[Matador, 2014]

Nota: 7,3

Leia Mais
Último show de Elza Soares será lançado como álbum visual em maio. Ouça “Meu Guri”