The Roots faz sátira política para falar dos dissabores da América Negra

Interessante ver o comprometimento do Roots, um dos grupos mais importantes no hip hop hoje. O novo disco, como os anteriores da banda, é conceitual e conta uma história com diversos personagens, em uma colagem nem sempre coesa, mas com uma narrativa instigante de se acompanhar. O tema deste … And Then You Shoot Your Cousin é a violência sofrida pela comunidade negra dos EUA.

Leia Mais
A estética única do Wild Beasts
Leia mais críticas de discos

Segundo Tariq Trotter (Black Thought), vocalista da banda, disse à XXL Mag, o disco é uma sátira política sobre a situação da comunidade negra. O trabalho vai fundo em sua análise dos estereótipos difundidos no hip hop. A banda decidiu fazer uso de humor negro para falar de lares disfuncionais, personagens problemáticos, crime e morte. Esse tipo de temática já foi explorada com discos clássicos recentes como o autobiográfico good kid, m.A.A.d. City, de Kendrick Lamar, mas aqui há menos peso.

De novo tendo como base o soul e o jazz, o The Roots envolveu as histórias em uma poderosa orquestração, como é de seu feitio. Vale a pena ressaltar: o grupo é o nome do hip hop conhecido por atuar com uma banda lotada de instrumentos, com destaque para o uso de piano, baterias e vocais. O uso do sampler é comedido. Para este trabalho, os integrantes usaram vozes como Nina Simone (1933 – 2003), a lendária pianista de jazz Mary Lou Williams (1910 – 1981) e Mercedes Martinez, do grupo de soul Jazzyfatnastees.

…And Then You Shoot Your Cousin está um passo à frente de grande parte do que é feito no hip hop hoje, mas a banda não conseguiu superar o ótimo Undun (2011) e How I Got Over (2010). Black Thought segue sendo um dos mais importantes rappers de sua geração, mas este novo trabalho carece de uma unidade, ou melhor, uma atmosfera que segurasse a força narrativa como aconteceu com os trabalhos anteriores citados. Acontece que a banda colocou faixas que servem apenas para contextualizar o conceito do trabalho, mas acabam atrapalhando a experiência do ouvinte.

Ainda assim, faixas como “The Dark (Trinity)” e a dançante “Understand” (com Dice Raw) valem a pena serem encontradas no meio do labirinto narrativo criado pelo grupo. A abertura do disco, sob a voz de Nina Simone com “Theme From Middle Of The Night” e “Never” (com Patty Crash), seguido de “When The People Cheer” atestam a versatilidade do grupo. A América negra está bem representada – mais uma vez – com o The Roots. [Paulo Floro]

The_Roots_And_Then_You_Shoot_Your_CousinTHE ROOTS
…Then You Shoot Your Cousin
[Def Jam/Universal]

Nota: 8,0

Leia Mais
Festival WeHoo anuncia programação com BaianaSystem, Jão, Matuê e Djonga