De volta ao presencial, Rec-Beat terá edições em Recife e Salvador

É a primeira vez que o festival chega à capital baiana; programação deverá ser revelada na próxima semana

Última edição presencial foi em fevereiro de 2020, integrando a programação do carnaval recifense. (Foto: Divulgação).

Após três anos da última edição presencial, um dos mais importantes festivais de música independente do país, o Rec-Beat, tem reencontro marcado com o público em 2023. Além de voltar a ocupar o Cais da Alfândega, no Recife, no tradicional período carnavalesco, a novidade deste ano é que o festival desembarca, pela primeira vez, em Salvador.

Enquanto na capital pernambucana a festa está marcada para acontecer de 18 a 21 de fevereiro, a edição soteropolitana será realizada um mês antes, com programação de um dia, em 21 de janeiro, no Trapiche Barnabé.

“A característica dessa programação [em Salvador] vai ser de encontros de nomes baianos e pernambucanos, ao contrário do que a gente faz aqui em Recife que é mais massivo, com atrações internacionais. Então, vai ter uma atração baiana que encontra uma atração pernambucana [e vice-versa]”, revelou à Revista O Grito! o idealizador e diretor do festival Antonio Gutierrez, o Gutie.

Diferente do evento recifense, que é aberto ao público por integrar a programação do carnaval da cidade, para a edição baiana haverá venda de ingressos que, garante Gutie, serão disponibilizados a preços populares. Ele ainda adianta que a programação de Salvador deverá ser revelada na próxima semana.

Esta não é a primeira vez que o Rec-Beat realiza edições fora da capital pernambucana. Fortaleza, São Paulo, João Pessoa e Caruaru são algumas das cidades que já receberam o evento. Já no último ano, em razão da pandemia de Covid-19, o festival vinha sendo realizado em formato digital com transmissão no YouTube.

Leia Mais
Jeff Beck, um dos maiores guitarristas do rock, morre aos 78 anos