Documentário Inseparáveis, de María Álvarez, é o longa vencedor do 32º Cine Ceará

Na Mostra Competitiva Brasileira, Big Bang, de Carlos Segundo, levou o troféu de Melhor Curta-metragem

'Inseparáveis' recebeu também o Prêmio da Crítica de Melhor Longa-metragem, do Júri Abraccine. (Foto: Divulgação).

Depois de sete dias de programação e mais de 50 filmes exibidos, o 32º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema chegou ao fim na noite da última quinta-feira (13). Na cerimônia de encerramento, realizada no Cineteatro São Luiz, Inseparáveis (Las Cercanas), da argentina María Álvarez, recebeu o Troféu Mucuripe de Melhor Longa-metragem pela Mostra Competitiva Ibero-americana. O filme, também vencedor na categoria de Melhor Montagem, conquistou ainda o Prêmio da Crítica de Melhor Longa, concedido pelo Júri Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema).

Na Mostra Competitiva Brasileira, o drama Big Bang, de Carlos Segundo, foi agraciado com o Troféu Mucuripe de Melhor Curta-metragem, eleito pelo júri oficial da mostra. O filme ainda levou para casa o Prêmio Canal Brasil de Curtas, eleito por um júri convidado pelo Canal Brasil. Já o Troféu Mucuripe de Melhor Direção foi para Laís Santos Araújo pelo curta Infantaria, que também venceu o Prêmio da Crítica de Melhor Curta-metragem, concedido pelo Júri Abraccine, e o Troféu Samburá, pelo Vida & Arte, do Jornal O Povo.

Na Mostra Olhar do Ceará, Escuridão na Terra da Luz, de Popy Ribeiro, foi eleito pelo júri oficial o Melhor Longa-metragem e Ópera sem Ingresso, de Andreia Pires, foi o vencedor como Melhor Curta-metragem da mostra, conquistando ainda o Prêmio Unifor de Cinema.

Confira a lista completa com os vencedores:

MOSTRA COMPETITIVA IBERO-AMERICANA DE LONGA-METRAGEM (Prêmio: Troféu Mucuripe)
Melhor Longa-metragem: “Inseparáveis” (Las Cercanas), de María Álvarez
Melhor Direção: Carlos Lechuga, por “Vicenta B”
Melhor Atuação Feminina: Linnett Hernández Valdés, por “Vicenta B”
Melhor Atuação Masculina: Démick Lopes, por “A Filha do Palhaço”
Melhor Roteiro: Eduardo Casanova, por “A piedade” (La piedad)
Melhor Fotografia: Victor Silva, por “Green Grass”
Melhor Montagem: María Álvarez, por “Inseparáveis” (Las Cercanas)
Melhor Trilha Sonora Original: Pedro Onetto, por “A piedade” (La piedad)
Melhor Som: Mar González, Mercedes Tennina e Sebastián Gonzáles, por “A piedade” (La piedad)
Melhor Direção de Arte: Melanie Antón, por “A piedade” (La piedad)
PRÊMIO DA CRÍTICA – ABRACCINE – Associação Brasileira de Críticos de Cinema: “Inseparáveis” (Las Cercanas), de María Álvarez

MOSTRA COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEM (Prêmio: Troféu Mucuripe)
Melhor Curta-metragem: “Big Bang”, de Carlos Segundo
Melhor Direção: Laís Santos Araújo, por “Infantaria”
Melhor Roteiro: Renan Barbosa Brandão, por “Último Domingo”
PRÊMIO DA CRÍTICA – ABRACCINE – Associação Brasileira de Críticos de Cinema: “Infantaria”, de Laís Santos Araújo
PRÊMIO CANAL BRASIL DE CURTAS – Melhor Filme (Troféu Canal Brasil): “Big Bang”, de Carlos Segundo
TROFÉU SAMBURÁ – Melhor Curta-metragem (Vida & Arte, do Jornal O Povo): “Infantaria”, de Laís Santos Araújo
TROFÉU SAMBURÁ – Melhor Direção (Vida & Arte, do Jornal O Povo): Breno Alvarenga, por “Camaco”

MOSTRA OLHAR DO CEARÁ (Prêmio: Troféu Mucuripe)
Melhor Longa-metragem: “Escuridão na Terra da Luz”, de Popy Ribeiro
Melhor Curta-metragem: “Ópera sem Ingresso”, de Andreia Pires
Prêmio Unifor de Cinema: “Ópera sem Ingresso”, de Andreia Pires

Leia Mais
Carol Ito vence o Prêmio Vladmir Herzog com reportagem em quadrinhos sobre mulheres da Cracolândia