Documentário Kevin, de Joana Oliveira, chega aos cinemas brasileiros

O filme estreia nesta quinta-feira (3) e investiga os caminhos da vida a partir do reencontro da cineasta com amiga ugandense

Joana Oliveira e Kevin Adweko se tornaram amigas há 20 anos quando estudaram juntas na Alemanha. (Foto: Cristina Maure/Divulgação).

Estreia esta quinta-feira (3) nos cinemas brasileiros, Kevin, novo longa da diretora Joana Oliveira. O filme, que narra o reencontro da cineasta com sua amiga ugandense Kevin Adweko, aborda questões como sororidade, relações interraciais e a posição da mulher. Com distribuição da Embaúba Filmes, o documentário entra em cartaz nas cidades de Aracaju, Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Manaus, Palmas, Vitória, Porto Alegre, Salvador e Ribeirão Preto.

Produzido pela Bukaya Filmes, em coprodução com Anavilhana e Vaca Amarela Filmes, o projeto nasceu de uma saudade: quando iria se casar, em 2013, Joana gostaria que sua amiga viesse ao Brasil, mas Kevin tinha acabado de ter uma filha, e não podia arcar com os gasto de uma viagem. “Desde que nos conhecemos em 1999 em Reutlingen, na Alemanha, só tínhamos nos encontrado em um país que não era nem de uma nem de outra”, comenta a diretora.

Além disso, Joana sabia que a amiga era uma figura extraordinária para estar num documentário. “E que a relação entre uma brasileira e uma ugandesa, que têm muito em comum apesar de serem tão diferentes em suas personalidades, interessaria muita gente. Especialmente mulheres. Meu casamento passou, o filme demorou a ser financiado, a Kevin se mudou da Alemanha para Uganda e muita coisa mudou na história do filme”, revela.

A partir do reencontro, quando a brasileira viaja a Uganda, o filme investiga o passado e o presente, os caminhos trilhados, e os rumos que as vidas e os países de cada uma delas tomaram. O documentário, cujas primeiras exibições aconteceram na Mostra de Cinema de Tiradentes, foi filmado em duas etapas: a primeira em 2017, em Uganda, onde foi rodada uma parte grande do filme, e a segunda em 2019, em Belo Horizonte, e, depois, novamente em Uganda, na cidade de Jinja.

Kevin tem ainda em sua equipe artística Clarissa Campolina, na montagem; Cristina Maure, na direção de fotografia; Thaís de Campos, na trilha sonora; Gustavo Fioravante, no som direto e edição de som; e Rimmena Procópio, que fez a direção de arte no Brasil, além da seleção de figurinos.

Leia Mais
“A Mosca”, faixa de estreia do projeto KillazSystem, ganha vídeo