Dois anos depois de seu álbum de estreia “Pareidolia”, está de volta com “”, trazendo um novo material como resultado de sua pesquisa sobre música experimental e lo-fi.

Nesse projeto, refletindo um movimento de sua geração, artista explora temas como mecanismos do capitalismo, medo pós-confinamento, questões ambientais e brutalidade policial.

Embalado por 9 faixas, que apostam na diversidade sonora, registro foi completamente gravado em casa e encontra inspiração em nomes como Ariel Pink, Beatles, John Maus, Jorge Ben e Damon Albarn.

“Vale destacar que esse trabalho nasceu após a percepção da sociedade quebrada em que vivemos, o que se tornou inegável com o início do confinamento. Estou sempre explorando diferentes tipos de ritmos, efeitos, vocais e referências”, destaca o músico brasileiro que nasceu em dezembro de 1995, na cidade de São Gonçalo, Rio de Janeiro, mas atualmente vive na Inglaterra.

Leia Mais
Duo Abronca fala de amor e saudade no single de “Fiz Pra Você”