Dramón lança o disco C É U S explorando a sinestesia na escuridão e luz

O projeto solo de Renan Vasconcelos traz mix de música ambient, eletrônica experimental e climática

Dramón/ Foto: Clara Miloski/ Divulgação

O músico Renan Vasconcelos, conhecido pelo seu nome artístico Dramón, lançou o seu mais novo trabalho solo: o disco C É U S. Com sete novas faixas, o álbum traz a sinestesia de cores, sabores e sentimentos para os ouvintes através de um mergulho entre o escuro e o claro. Na sonoridade, o disco traz mix de música ambient, eletrônica experimental e climática.

Dramón surgiu da vontade de contrapor à ansiedade das grandes metrópoles – um reflexo da vivência de Vasconcelos pelo cenário musical do Rio de Janeiro, ele mesmo natural da serra fluminense. Porém, após se refugiar no balneário de Búzios, Renan trocou a região dos lagos por São Paulo, onde reside há quatro anos. Essa mudança atravessa a identidade sonora de Dramón, um projeto guiado por sensações, vibrações e climas.

Sobre o novo disco, Vasconcelos explicou que “Nada (ou quase nada) é tão especial como o céu e tudo o que vemos nele. A possibilidade de observá-lo daqui de baixo e interpretar seus humores faz dele um dos principais guardiões dos mistérios desse mundo. No plural, transforma-se em um lugar sagrado para onde confidenciamos nossos medos, desejos e buscamos respostas”.

Todo o álbum busca perpassar por uma vasta experiência sobre a realidade e o irreal, se debruçando sobre sentimentos de maneira sensível e singular afim de criar um trabalho guiado pelas sensações.

Novos discos

Leia Mais
Björk faz uma procissão para a mãe no delicado novo clipe, “Ancestress”