Foto: Isadora Lubambo/Divulgação.

Foto: Isadora Lubambo/Divulgação.

A banda recifense tem na fase setentista de uma das suas maiores inspirações. A baiana, que completou 70 anos em 2015, entrou para a história da música brasileira como uma das maiores vozes do tropicalismo. Ao longo dos anos conseguiu se reinventar e trazer inovações ao seu som.

Mas foi na fase dos anos 1970 em que sua carreira ficou mais conhecida. Em celebração à efeméride de Gal e à sua importância pra música brasileira, o grupo estreia no próximo dia 14 de abril (quinta) o show Gal 70, no Rouge Music Bar (Casa Forte). A entrada custará R$ 20,00 (vinte reais).

O show será inteiramente dedicado à fase setentista da cantora, com músicas que marcaram esse período da sua carreira. “Vapor Barato”, “Mal Secreto”, “Hotel das Estrelas”, “Flor de Maracujá” são algumas das músicas do repertório. Também estão no set list canções dos dois primeiros discos de Gal, de 1969, como “Cinema Olympia”, “Baby”, “Tuareg”, que marcaram o início da incursão da cantora por esse caminho mais identificado com a música pop mundial.

Homenagear Gal Costa já faz parte da história da Dunas do Barato. O próprio nome da banda é inspirado no point da Praia de Ipanema (RJ), frequentado pela turma “desbundada” da época, assim como Gal. A presença da cantora – ícone da música contracultural no Brasil naqueles anos de chumbo – inspirou o batismo do local, chamado de Dunas do Barato ou, também, “Dunas de Gal”.

[CARTAZ] Gal 70

Sem mais artigos