A série da Netflix, House Of Cards (Divulgação)

A série da Netflix, (Divulgação)

A maior premiação da TV americana acontece neste domingo com a pressão de entrar para a história ao legitimar a plataforma online como área de prestígio para seriados. É que House Of Cards, série original do Netflix, foi indicado a 16 categorias e pode ser a primeira produção feita exclusivamente para internet. Mas, esta edição também pode significar a consagração de , uma das séries de maior sucesso na TV americana nos últimos anos.

House Of Cards, estrelado por Kevin Spacey e Robin Wright conta a história de um congressista americano que executa um plano de poder sem nenhum escrúpulo. Ao lado da mulher, ele realiza diversas ações para tomar o controle da Casa Branca. No seu caminho está uma jornalista ambiciosa interpretada por Kate Mara. A direção também é de grife: David Fincher, o mesmo diretor de Millenium – O Homem Que Não Amavam as Mulheres.

A série mostrou que existe um outro modelo de negócios possível para séries de qualidade. As indicações ao foi tida como o início de um novo momento para a TV americana, que vive um dos melhores momentos de sua história. É possível dizer que está é uma das poucas vezes em que a produção televisiva ficou em pé de igualdade com o cinema no quesito relevância.

Série chega ao final este ano (Divulgação)

Série chega ao final este ano (Divulgação)

A série está bastante cotada para levar o prêmio de melhor série dramática, mas tem no seu caminho dois nomes que aparecem como favorito: Breaking Bad, sobre um professor que se transformou em um fabricante de metaanfetamina e Downton Abbey, que conta a história de uma família aristocrática britânica no início do século passado. Esta última foi um fenômeno de audiência e chamou atenção por não trazer nenhum grande efeito especial ou mesmo atores conhecidos.

Mais ainda, conseguiu criar uma trama envolvente com um ambiente muito hermético, mas que sempre atraiu atenção das pessoas, que é o mundo da etiqueta rígida da aristocracia inglesa. Há quem encontre na série elementos da telenovela e até mesmo parâmetros com os dias atuais. Outro nome que concorre com grandes chances é Breaking Bad. Exibida por aqui no canal AXN e também na Netflix, a série é uma das mais comentadas da TV americana nos dias atuais. Está em sua última temporada.

Criada por Vince Gilligan em um canal pago de pequeno porte, a AMC, a série transformou seus protagonistas em estrelas: Bryan Craston (cotado para ser o novo Lex Luthor), Anna Gun e Aaron Paul, todos indicados ao Emmy. Nos últimos anos, a série vem sendo esnobada pela premiação, mas parece que será difícil ignorar tanta repercussão positiva desta vez. Depois de dar tantos prêmios para Mad Men, o Emmy deve agraciar o sucesso de Breaking Bad. O mesmo vale para , a fantasia medieval baseada na obra de George R.R. Martin, que tem uma grande legião de fãs.

http://www.youtube.com/watch?v=EvYLiroRu6I

Homeland, que destacou a atriz Claire Danes ano passado no Grammy, corre por fora por causa de uma temporada de muito sucesso ano passado. Mas, seria uma zebra se vencesse.

Big Bang Theory tenta a sorte por mais um ano (Divulgação)

Big Bang Theory tenta a sorte por mais um ano (Divulgação)

Na comédia, a mesmice
Se na área dramática, a competição está acirrada, nas categorias de comédia impera a mesmice. As mesmas séries de quase dez anos atrás se repetem, como o caso da 30 Rock, já encerrada nos EUA e Modern Family, sucesso na premiação nos últimos cinco anos. The Big Bang Theory também tenta seu último fôlego, novamente indicando sua grande estrela Jim Parsons (o Sheldon).

House Of Lies e Louie, do comediante Louis C.K. podem ter grandes chances, mas a falta de um nome de destaque mostra que as séries de comédia dos EUA precisam de uma chacoalhada de renovação. Visto pelo lado do ineditismo e originalidade talvez seja a hora de analisar melhor a importância de Girls, de Lena Dunham, que este ano chega com mais força ao Emmy.

A transmissão da premiação acontecerá na Warner, às 21h.

Veja a lista completa de indicados.

Melhor ator em série dramática
Kevin Spacey (“House of cards”)
Hugh Bonneville (“Downton abbey”)
Jon Hamm (“Mad men”)
Damian Lewis (“Homeland”)
Bryan Cranston (“Breaking bad”)
Jeff Daniels (“The Newsroom”)

Melhor atriz em série dramática
Michelle Dockery (“Downton abbey”)
Elizabeth Moss (“Mad men”)
Claire Danes (“Homeland”)
Vera Farmiga (“Bates Motel”)
Kerry Washington (“Scandal”)
Robin Wright (“House of cards”)
Connie Britton (“Nashville”)

Melhor atriz coadjuvante em série dramática
Emilia Clarke (“Game of thrones”)
Anna Gunn (“Breaking bad”)
Maggie Smith (“Downton abbey”)
Morena Baccarin (“Homeland”)
Christina Hendricks (“Mad men”)
Christine Baranski (“The good wife”)

Melhor ator coadjuvante em série dramática
Aaron Paul (“Breaking bad”)
Bobby Cannavale (“Boardwalk Empire”)
Jim Carter (“Downton abbey”)
Peter Dinklage (“Game of thrones”)
Jonathan Banks (“Breaking bad”)
Mandy Patinkin (“Homeland”)

Melhor série de comédia
“Louie”
“Girls”
“30 rock”
“Veep”
“Modern family”
“The big bang theory”

Melhor série dramática
“Breaking bad”
“Game of thrones”
“Mad men”
“Downton abbey”
“Homeland”
“House of cards”

Melhor ator em série de comédia
Alec Baldwin (“30 Rock”)
Jason Bateman (“Arrested Development”)
Louis C.K. (“Louie”)
Don Cheadle (“House of lies”)
Matt Leblanc (“Episodes”)
Jim Parsons (“The big bang theory”)

Melhor atriz em série de comédia
Laura Dern (“Enlightened”)
Lena Dunham (“Girls”)
Edie Falco (“Nurse Jackie”)
Tina Fey (“30 Rock”)
Julia Louis-Dreyfus (“Veep”)
Amy Poehler (“Parks And Recreation”)

Melhor atriz coadjuvante em série de comédia
Mayim Bialik (“The big bang theory”)
Merritt Wever (“Nurse Jackie”)
Julie Bowen (“Modern family”)
Sofía Vergara (“Modern family”)
Jane Krakowski (“30 Rock”)
Jane Lynch (“Glee”)
Anna Chlumsky (“Veep”)

Melhor ator coadjuvante em série de comédia
Ed O’Neill (“Modern family”)
Jesse Tyler Ferguson (“Modern family”)
Ty Burrell (“Modern family”)
Tony Hale (“Veep”)
Adam Driver (“Girls”)
Bill Hader (“Saturday night live”)

Melhor minissérie ou filme
“American Horror Story”
“Behind the candelabra”
“The Bible”
“Phil Spector”
“Political animals”
“Top of the lake”

Melhor ator em minissérie ou filme
Benedict Cumberbatch (“Parade’s end”)
Matt Damon (“Behind the candelabra”)
Michael Douglas (“Behind the candelabra”)
Toby Jones (“The girl”)
Al Pacino (“Phil Spector”)

Melhor atriz em minissérie ou filme
Jessica Lange (“American horror story”)
Laura Linney (“The Big C”)
Helen Mirren (“Phil Spector”)
Elizabeth Moss (“Top of the lake”)
Sigourney Weaver (“Political animals”)

Melhor ator coadjuvante em minissérie ou filme
James Cromwell (“American horror story”)
Zachary Quinto (“American horror story”)
Scott Bakula (“Behind the candelabra”)
John Benjamin Hickey (“The Big C”)
Peter Mullan (“Top of the lake”)

Melhor atriz coadjuvante em minissérie ou filme
Sarah Paulson (“American horror story”)
Imelda Staunton (“The girl”)
Ellen Burstyn (“Political animals”)
Charlotte Rampling (“Restless”)
Alfre Woodard (“Steel Magnolias”)

Melhor reality show de competição
“The amazing race”
“Dancing with the stars”
“Project runaway”
“So you think you can dance”
“Top chef”
“The voice”

Melhor série de variedades
“The Colbert report”
“The daily show”
“Jimmy Kimmel live”
“Late night with Jimmy Fallon”
“Real time with Bill Maher”
“Saturday night live”

Sem mais artigos