O QUE NÃO PODE FALTAR
113 motivos para amar as duas cidades hoje

Por Alexandre Figueirôa, Fernando de Albuquerque, Josafá Santana e Paulo Floro

Recife e Olinda são cidades, no mínimo, controversas. Uma nasceu bem mais cedo ou mais tarde que a outra, provavelmente em datas diferentes, mas a proximidade e a falta de limites onde uma começa e a outra termina fez a convenção comemorar o aniversário em conjunto.

A falta de criatividade em relação ao aniversário das cidades não expressa com fidelidade o fuzuê que as duas promovem aos seus cidadãos. Tem lugares que todos os recifenses e olindenses conhecem, do mais jovem ao mais velho. Outra característica é a mobilização política, onde qualquer declaração das autoridades é motivo de passeatas; ou mesmo sabores e costumes que só podem se encontrar por aqui.

Fizemos um roteiro meio estranho, mas não menos representativo. São pessoas que você não pode deixar de conversar, festas que não pode deixar de ir, festivais que devem, impreterívelmente estar em sua agenda, revistas, bandas, artistas. É uma coleção de coisas legais que fazem amar Olinda e Recife hoje.

A lista abaixo não é definitiva, e com certeza, poderá faltar aquilo ou aquilo-outro. Mas, é um retrato pessoal e urgente do que Recife e Olinda têm de mais legal atualmente.

Abril Pro Rock
Já foi sinônimo de inovação e também de estagnação. A bem da verdade, o festival (por melhor ou pior que seja – existem várias opiniões) é a marca registrada da vocação recifense para a música e tendências.

allana

Allana Marques
No passado ela era das figuras mais descoladas da cidade. Hoje é Dj, empresária e promoter dos eventos mais legais, engraçados e inusitados.

Alto da Sé
Possui a vista mais linda e inspiradora do Recife e de Olinda e ainda tapioca mais cara da região.

Ateliês de Olinda
Quem gosta de pintura e escultura caminhar pelas ruas bucólicas da Cidade Alta  pode trazer surpresas. Muitos artistas recebem visitas em seus ateliês para uma boa conversa sobre tintas e cores.

Bacurau
Chegue em qualquer outra cidade e tente pegar um Bacurau. Quase impossível. O nome é tipicamente pernambucano e usado nas linhas de ônibus que varam a madrugada levando festeiros, bêbados e trabalhadores noturnos.

baile

Baile dos Artistas
O baile mais sem pudor das prévias carnavalescas do Recife reúne todo tipo de gente em uma grande festa democrática e sem frescura como deveria ser sempre o Carnaval.

Biu da Silva
O cronista das baladas GLS do Recife já postou na Revista O Grito! histórias de oitis, rosas do ventos e vapores baratos…. Garantia de boas risadas.

Bodega do Véio
A rua do Amparo em Olinda fica estreita com a moçada que bate ponto lá para beber cerveja e degustar os deliciosos sanduíches. Fica na Rua do Amparo, 212.

Bogart Café
O lugar é novo, mas o café é dos melhores. Destaque fica para o astral da casa. Vai lá: Rua Afonso Pena, 96.

brasiliateimosa

Brasília Teimosa
Percorrer a avenida que beira o mar até o Buraco da Véia é uma excursão surpreendente. Tem botecos com pratos a base de camarão barato e deliciosos. Tem também cafuçus e piriguetes bem assanhados.

Cadengue
Um diretor teatral que não abre mão de um teatro arrojado e que leve o espectador a pensar. Inteligente, ousado e polêmico. Vale a pena puxar uma conversa com ele e saborear um pouco de sua vasta cultura e de suas opiniões sobre as artes cênicas.

Café Castigliani
Localizado na Fundação Joaquim Nabuco do Derby, o espaço tem cafés saborosos e por lá você encontra todas as pessoas que realmente importam. Rua Henrique Dias, 909.

Foto: Marcelo Soares/Divulgação
Foto: Marcelo Soares/Divulgação

Cafuçu
Este tipo universal de homem em sua versão local são os mais originais da face da planeta. Eles não tem nada a ver com os cafuçus de boutique do I Love Cafuçu. São suburbanos de corpo e alma. Os jovens usam bermudas coloridas, camisas de torcida organizada ou surfwear, tênis branco, correntes de prata, fazem as sobrancelhas, usam dois brincos brilhantes, cabelo do Neymar, dançam as melôs do MC Sheldon num remelexo de dar inveja a bailarina do Faustão, bebem vinho carreteiro e muita cerveja, usam fitinhas com as cores da bandeira da Jamaica e, claro, adoram fumar um baseado.Tem uma pirraia apaixonada em cada lugar que vão, mas estão cada vez mais abertos a “novas experiências”.

carnaval

Carnaval de rua
Aí você achou que poderia faltar esse verbete? Carnaval em Recife e Olinda só presta se for na rua, e de graça! Seja seguindo algum bloco ou assistindo a shows espalhados por diversos palcos. Recife Antigo e Sítio Histórico na Cidade Alta, em Olinda, são pontos obrigatórios de quem vai carnavalizar por aqui.

Casa Amarela
O bairro já quis se emancipar do Recife. Motivo? Seu tamanho e contingente populacional. A verdade é que Casa Amarela tem vida própria, um astral de bairro grande, meio cosmopolita, mas bem periférico. Lá, todo mundo se conhece.

Casa de Noca
A melhor, mais saborosa e mais cremosa macaxeira já servida em todos os tempos. Rua Bertioga, 243, em Olinda.

Casa do Cachorro Preto
O lugar na rua 13 de Maio em Olinda vem se firmando com um dos cantos mais interessantes para quem busca boa música da cena local e novos nomes das artes visuais.

Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Cássio Bonfim
Idealizador do Acre, esse rapaz é conhecido agitador local e movimenta a cena local de moda

Cena brega
O cenário brega do Recife instraura-se como movimento mais popular da cidade e está impregnado em todas esferas sociais. Casas de shows e festas acontecem em bairros ricos e pobres.

Central
O bar/restaurante é point de quem quer beber, conversar, comer, paquerar, discutir, brigar, fazer as pazes, arrumar amigos, debater aquela hipótese do doutorado, fazer projetos e até trabalhar. Todo mundo, SEMPRE, se vê por lá. Na Rua Mamede Simões, 144.

China
Além do destaque que teve com sua carreira solo, China também é empreendedor cultural e encabeça o Joinha Records, selo independente que agita a cena cultural daqui.

Cine PE
O festival tem o maior número de pessoas por exibição. É alvo de constantes críticas por parte de cinéfilos mais exigentes, mas a verdade é que ninguém perde ou deixa de ir.

cinema-da-fundação

Cinema da Fundação
Um verdadeiro santuário dos cinéfilos. É a sala de exibição que exibe nova produção do cinema autoral internacional. De Lars Von Trier, passando por Ken Loach, Karïm Ainouz até Michael Haneke. Fica na Rua Henrique Dias, 909, Derby.

Cinemas da Boa Vista
A Boa Vista é um bairro gay por excelência. Se quer sexo casual, diversão e novas experiências, a região é servida por sete cinemas de gênero.

Divulgação
Divulgação

Cláudio Assis
O cineasta se destacou por mostrar um Recife que ninguém gosta de ver. Autor de Amarelo Manga e A Febre do Rato, ele ainda é engajado nas discussões sobre os rumos da cidade.

Clube das Pás
O centro da diversão dos vovôs e vovós. Para frequentar, só de roupa social e sapato bico fino. No tablado ninguém entra com bebida. Tudo para manter a áurea do local. Na Rua Oderico Mendes, 263.

Continente
A publicação resume a vida cultural de quem vive e respira pernambucanidade. Um verdadeiro receptáculo de tendências.

Coque
O bairro ainda é conhecido pela violência, mas vem ganhando atenção por causa do projeto Revelando o Coque, que chamou atenção para talentos locais e deu auto-estima ao bairro.

Foto: Flora Pimentel/Divulgação
Foto: Flora Pimentel/Divulgação

Coquetel Molotov
Peter Bjorn and John, Clube da Esquina e The Kills já passaram pelos palcos do festival. O mais bem organizado da região. O coletivo ainda é responsável por diversas ações que promovem a cena independente de Pernambuco e outros Estados, a exemplo dos projetos Audificando, Play The Movie, um programa de rádio e site.

Cristiana Tejo
Jornalista, professora e crítica de arte. Seu sobrenome deveria ser contemporaneidade. É nome forte das artes plásticas da cidade.

Cantina Star
Localizada no meio da Conde da Boa Vista, o restaurante não é dos mais chiques, passa perto dos piores, mas a comida é muito saborosa e extremamente barata. Fica na Av. Conde da Boa Vista, 1084.

Dani Hoover
A empresária movimenta a cena cultural pernambucana com sua produtora, a Luni, que realiza diversos eventos como o Festival de Circo, além de cuidar da casa Baile Perfumado, lugar que trará ao Recife Franz Ferdinand.

Divulgação
Divulgação

Daniel Aragão
Novo nome da atual cena de cinema, ele é autor de Boa Sorte, Meu Amor, mas já era conhecido como dono de festas descoladas (Tony Montana, sdds).

Desfile do Bloco Ceroula
Na terça-feira de Carnaval o Ceroula desfila pelas ruas de Olinda cantando “Último regresso”. Vê-se foliões chorando, pessoas desconhecidas se abraçando e se despedindo do Carnaval pernambucano. O momento é único.

Derlon
Derlon Almeida é um dos artistas plásticos mais celebrados dos últimos anos e ficou conhecido por unir xilogravura com street art. Seus trabalhos estão espelhados por países como Alemanha, Portugal e Holanda.

Devotos
Maior instituição do punk-rock-hardcore, foi responsável por chamar atenção para o rock feito na periferia. Com o carisma de seu líder, Cannibal, ainda seguem na ativa.

Direitos Urbanos
A cidade conta hoje com um grupo organizado que já conseguiu avanços importantes na luta por uma cidade mais justa e voltada para as pessoas. Articulados via Facebook, eles estão à frente de movimentos como OcupeEstelita.

Eddie
Banda onipresente em shows por Recife e Olinda. Legítimos representantes do estilo maloqueiro do pernambucano, o grupo consegue unir o pop às referências locais.

Fabiana Moraes
Jornalista mais premiada do Estado nos últimos anos, ela possui sensibilidade para mostrar o lado humano de qualquer pauta. É interessante seguir seus rastros online, com séries como #NaCasadosOutros, #AindaÉCedoAmor e #NuncaFomosTãoModernos. É autora do livro Os Sertões.

Fátima Quintas
Escritora, antropóloga e cronista, ocupa a cadeira de número 13 na Academia Pernambucana de Letras, onde é presidente. Ela é quase uma autoridade civil. Revenciada em todos os espaços culturais de Recife e Olinda.

Feiras livres em Olinda
Todos os bairros possuem uma. Apinhadas de consumidores nos sábados e domingos é possível comprar carne fresca e vegetais das fazendas do interior.

Fênix Comic Shop
Mais importante loja de quadrinhos do Recife, se destaca pelo atendimento dos donos, que confere ao lugar um ar de confraria para amantes de quadrinhos, RPG e miniaturas. Para ir: Rua Conselheiro Portela, 665.

Festa da Vitória Régia
Realizada todos os anos na praça de Casa Forte. A festividade reúne todas famílias pernambucanas de tudo o que é canto.

Flávia de Gusmão
Autora da coluna (e livro) Sexo @ Cidade, a jornalista Flávia de Gusmão é conhecida por revelar um olhar feminino (e feminista) sobre o cotidiano. Ganhou fãs por sua prosa que mais parece uma conversa. E nesse papo entram bofes, filhos e profissão.

Camile Paglia na Fliporto (TomCabral/ SantoLima)
Camile Paglia na Fliporto (TomCabral/ SantoLima)

Fliporto
A Festa Literária Internacional de Pernambuco acontece, todos os anos, nas ladeiras de Olinda. É a maior festa literária do Brasil em número de visitantes. Uma verdadeira festa literária que movimenta a cidade.

Fábrica Estúdios
O Fábrica vem caminhando nos últimos anos para se tornar a mais importante gravadora de artistas locais desses tempos. O lugar tem os mais modernos equipamentos hoje no Recife e recebe grande parte da produção musical local.

Foto de Helia Scheppa (Divulgação)
Foto de Helia Scheppa (Divulgação)

Fotografia
A cidade tem hoje uma geração muito boa de fotógrafos que vivem a registrar Recife e Olinda com um olhar que foge do óbvio. Vale a pena seguir: Hélia Scheppa, Priscilla Buhr, Beto Figueirôa, Chico Porto, Fred Jordão.

Galeria Joana D’Arc
Localizada em Boa Viagem é sempre muito friendly com o público gay e é ideal para quem quer aproveitar boa culinária local. Av. Herculano Bandeira, 513.

galo

Galo da Madrugada
Maior bloco de rua do mundo, abre o Carnaval do Recife com uma multidão de gente pulando frevo. Recomenda-se essa experiência hardcore para todo bom folião que se preze.

Galo de Souza
Seu nome ficou conhecido como expoente do grafite feito por aqui. Hoje famoso no circuito de artes, tem trabalhos seus espalhados pelo Recife

Gestos
A ONG existe há mais de 30 anos lutando pelos direitos de pessoas vivendo com HIV. É também feminista e foi uma das primeiras instituções a contar com uma agência de notícias e equipe de comunicação para tratar do tema.

gil

Gil Vicente
Figura explosiva no meio das artes plásticas, o artista causou polêmica com sua exposição que colocava poderosos na mira de uma arma. É hoje um dos maiores nomes do cenário nacional.

Geraldo Freire
O “comunicador da maioria” é ouvido de leste a oeste por todos os pernambucanos. Não dá para amanhecer no Recife ou em Olinda sem tomar café da manhã com ele. Seu Facebook dá uma ideia do ser nonsense e sem papas na língua que ele é.

#calabook Allana e Lucas, da Golarrolê (Divulgação)
#calabook Allana e Lucas, da Golarrolê (Divulgação)

Golarrolê
A produtora é hoje dona das festas mais lotadas do Recife: Brega Naite, Maledita, Odara. Deu personalidade às noite recifenses nos últimos dois anos.

Iraq
Misto de bar, galeria e ímã de experimentalismos de todo tipo, o Iraq é um dos locais mais alternativos da cidade já foi palco de performances inusitadas. Fica na rua do Sossego, 179, perto da Unicap.

Janela Internacional de Cinema
Este festival de cinema cumpre um papel ignorado por muitos eventos de cinema no Brasil que é contextualizar o momento histórico da cidade em que se encontra e abrir espaço para debate que vai além da mera exibição.

Jomard Muniz de Brito
Sociólogo, escritor, dramaturgo, agitador cultural e tantas outras alcunhas subsescrevem esse homem que de tão caricato rendeu um dos filmes mais engraçados e verdadeiros da paróquia. O que dizem sobre ele? “Jomard é quem sabe vivenciar e viver”. Quem anda pela Boa Vista já o deve ter visto carregando poesias debaixo do braço.

Kleber Mendonça Filho
O crítico programador do Cinema da Fundação e organizador do Janela tem cinema circulando nas veias e o Recife como um de seus personagens prediletos. É o autor de O Som Ao Redor, filme brasileiro mais premiado do ano passado.

Divulgação
Divulgação

Lala K
A DJ não poderia faltar em uma cool list como essa. É uma das mentoras da festa Sem Loção e hoje também toca na Odara. Em seu setlist, uma mistura certeira de novidades do pop mundial com música brasileira das boas.

Leda Alves
Esposa do dramaturgo Hermilo Borba Filho, Leda é mulher de respeito na cena local. Ocupou e ocupa locais de destaque na administração da cidade e como dizem: “ela sabe das coisas”. Rendeu ainda um meme muito hilário nas redes sociais, conhecido como “Aledinha Alves”.

Leões do Norte
Atuante na luta pelos direitos dos homossexuais, a ONG promove exames gratuitos de Aids e ações nas escolas locais, além de se destacar no cenário nacional pelas suas pesquisas sobre a homofobia.

Lesbian Bar
Hoje o lugar mais alternativo da cidade (misto de casa de amigos, bar, galeria, etc), o Lesbian Bar é parada que vem sendo descoberto aos poucos. Quem comanda é Fernando Peres, outro conhecido da cena. Na Rua Tapacurá, 254, Poço.

Foto: Marcela Gallindo/Divulgação
Foto: Manuela Galindo/Divulgação

Luci Alcântara
Ir ao Central e não encontrar a documentarista Luci Alcântara é como ir a Roma e não ver o papa. A cineasta está sempre ligada nas estréias de filmes, vernisssages, noite de autográfos. Seu conhecimento da vida e dos artistas de Olinda e Recife está nos seus filmes Geração 65, Aquela Coisa Toda e JMB: O Famigerado. E vem aí: O Melhor Documentário do Mundo, uma gréia com a mania de grandeza dos pernambucanos.

Marco Zero
Ponto obrigatório para turistas, o Marco Zero abriga os grandes eventos da cidade e é a apoteose do carnaval de Recife.

Maria do Céu
Uma mulher traveca é talvez a melhor definição da persona que encabeça e tem popularizado aceitação LGBT na cidade. É dona da boate Metrópole e do Santo Bar, dois pontos em que as bee todas batem ponto.

Melina Hickson
Uma das empreendedoras culturais mais atuantes, já esteve ligada ao Abril Pro Rock e hoje cuida da carreira de Siba e do Porto Musical, evento que mistura música e negócios.

Foto: Nathii Ideias/Reprodução
Foto: Rodrigo Cantarelli

Mercado da Boa Vista
Cerveja geladíssima e comidas tradicionais. O espaço traz rusticidade em todas as suas facetas e nem por isso é menos aconchegante, familiar, divertido e sem pudores. Rua Santa Cruz, S/N.

Michelly Summer
Drag mais famosa do Recife, é conhecida por seus shows em casas noturnas locais e por suas músicas que fazem sátira com sucessos pop brasileiros adaptando para o universo gay underground.

MKB
O MKB (Meu Kaso Bar) tem como público uma míriade de figuras bem heterogêneas: travestis, mauricinhos, drag queens, bichas de todos os estilos, amigas. Tudo isso junto num caldeirão fervente regado a pagode, brega e um bate-estaca ensurdecedor. Na Rua Corredor do Bispo, 6.

MKB Open (Arredores do MKB ou Rua Corredor da Bicha)
A praça e as ruas próxima ao MKB nas noites de sexta, sábado e domingo são uma ferveção só. Quem tá a fim de acuendar não deixa de passar por lá para comer pastel, tomar cerveja e ver o povo se remexer ao som dos Mcs nas caixas espalhadas pelas barracas improvisadas. É babado.

Mombojó
Talvez a banda mais importante do pós-mangue, é uma das que possuem maior número de fãs na cidade. Tem a cara da geração dos anos 00 criada na cidade.

Morro da Conceição
No dia 8 de dezembro é passagem obrigatória para os devotos da Virgem da Conceição. Mas, no quesito festa profana o Morro também é agitado, principalmente nas domingueiras do Acadêmico.

Mundo Livre S/A
O grupo conseguiu manter a relevância depois do estouro do mangue-beat e ainda aposta em sons mais experimentais.

Nação Zumbi
A importância da banda ainda é sentida com os shows lotados feitos por aqui. Eles não moram mais por aqui, mas estão sempre envolvidos com a cena local, além de serem trilha sonora instantânea da cidade.

Divulgação
Divulgação

Nascedouro de Peixinhos
O lugar ainda carece de uma boa divulgação, mas quem é moradora do bairro de Peixinhos sabe a importância do Nascedouro. Por lá, atividades relacionadas à música, apresentações, oficinas ou mesmo puro ponto de encontro dos jovens da região. Av. Jardim Brasília, S/N.

OcupeEstelita
O movimento tem como objetivo impedir a construção de 13 torres em uma das áreas mais bonitas da cidade, hoje valorizada. O primeiro #OcupeEstelita aconteceu ano passado e chamou atenção de todos com um domingo divertido, com shows, circo, debates, bebida e até piscina de plástico.

Oficina do Sabor
O restaurante resgatou a pernambucanidade na culinária do Recife, que passou por um momento de extrema internacionalização. Sob o comando de César Santos, a casa fica nas ladeiras de Olinda e é o mais requisitado para quem visita o Estado. Rua do Amparo, 335.

Orla de Boa Viagem
A praia mais conhecida do Recife oferece um calçadão ótimo para quem quer fazer aquela caminhada, tomar água de coco ou até mesmo ganhar a vida.

Foto: Tiago Calazans
Foto: Tiago Calazans

Orquestra Contemporânea de Olinda
A banda ficou conhecida por unir o tradicional frevo com uma proposta mais autoral. O percussionista Gilú Amaral é nome forte entre os novos artistas locais e é conhecido pelas composições dançantes.

Padaria Santa Cruz
Escondida no Bairro da Boa Vista, a padaria ostenta sua tradição portuguesa com estilo e, principalmente, muito sabor. É ótimo para quem quer fugir das horrendas catracas na entrada e comandas que está se tornando praxe nas padarias da cidade. Na Rua de Santa Cruz, 101.

paradagay

Parada Gay de Casa Amarela
É meio desorganizada, mas é animadíssima. É só preparar o kit vodka com laranjada, rum com coca ou uísque com redbull e dar apoio à turam LGBT que também manda ver no subúrbio.

Pátio do Carmo
Ponto de encontro dos fiéis católicos, o pátio acolhe as festividades da padroeira da cidade, sem perder o charme da Basílica histórica. Também é uma área de forte comércio durante o dia e de ponto de encontro com cerveja, espetinho e brega, de noite. Fica próximo à Av. Dantas Barreto, no Centro.

Parque das Esculturas
Imponente, rija e colossal; a pitoca de Brennand (como foi apelidada) reina no parque das esculturas e figura como uma das obras mais conhecidas do Recife. Próximo ao Marco Zero, no Recife Antigo.

Pernambuquês (ou Oxentês)
Desde nosso característico “ôxe”, até expressões mais complexas como “dispense, véi” ou “canto mais limpo”, o pernambuquês é um idioma que precisa ser mais conhecido. Tem ainda a típica fungada retórica, sempre usada no fim da frase.

Francisco Saboya, do Porto Digital (Divulgação)
Francisco Saboya, do Porto Digital (Divulgação)

Porto Digital
Considerado um dos mais importantes parques tecnológicos do Brasil, o Porto Digital trouxe melhorias ao Recife Antigo e pensa inovações para melhorar a qualidade de vida local, como o sistema de aluguel de bicicletas.

Praça do Sebo
O lugar é desmantelado, o entorno é sujo, mas quem deseja encontrar livros bons e baratos, vale dar uma olhada. Ali perto também há o Sebo do INSS, mais voltado para livros didáticos e pornôs e mais adiante temos o Sebo do Banco Safra, voltado para games e quadrinhos. Tudo no Centrão.

protesto

Protestos
Não importa muito a causa, o importante é abrir o bocão e protestar. Do aumento da passagem de ônibus à Marcha das Vadias, tudo é motivo para fechar o trânsito na Agamenon, sempre com aquele deboche pernambucano. O importante é não ficar omisso.

Quanta Ladeira
Com pouco mais de dez anos, o Quanta Ladeira já é tradição no carnaval recifense e atrai uma multidão que quer zoar descaradamente do cu alheio e de figuras públicas que merecem uma tiração de onda.

Raimundo Carrero
Escritor que traz à cidade sua arte em forma de palavras e personagens fortes que retratam o cenário nordestino com maestria e uma feroz realidade. Ficou conhecido por uma oficina literária que gerava muito comentários.

rauluna_retrato

Raul Luna
Designer e artista plástico, tem um trabalho autoral marcado pelo uso do preto e branco. É bastante requisitado para deixar sua marca por músicos atuais, como China.

Rec Beat
A produtora é dona do festival de mesmo nome que acontece no Carnaval, mas durante o resto do ano também movimenta a cidade com festivais que misturam arte e tecnologia, como o Continuum e o Animage, voltado para animação.

Recife Rock
Já foi revista, site, mas hoje vive com uma página do Facebook muito movimentada. Seus fundadores são pessoas que acreditam na cena independente local e ajudam a divulgar novidades musicais daqui.

Ressaca do Galo
Depois que o Galo passa é que o negócio fica bom. Tem frege GLBT no Pátio de São Pedro, nos bares da Dantas Barreto, no Cais de Santa Rita. A paquera rola solta e quem for mais apressado na Termas Progresso tem o After Galo. Dizem que é
quentíssimo.

riocapibaribe

Rio Capibaribe
Como espinha dorsal de Recife, o Rio Capibaribe retalha a cidade e proporciona cenas inusitadas para os observadores mais atentos. Desde cenas de cartões postais a palafitas, o rio reflete o que de mais interessante e mais inesperado a capital pernambucana tem. Atualmente o rio vive um momento de revitalização, com a chegada de transporte coletivo e a prática de remo que não para de crescer.

Rio Doce
O maior bairro de Olinda também é um dos mais aconchegantes da cidade. É possível fazer tudo sem sair de lá. Faculdade, pós, festas descoladas, gente alternativa e também muita caretice. Tem de tudo e o melhor é que todo mundo se conhece, pelo menos de “oi”.

Rio Doce / CDU
Embarcar no ônibus Rio Doce/CDU te faz conhecer boa parte da paisagem de Recife e Olinda. É um dos coletivos com o maior trajeto e é conhecido por ser bem agitado. Conhecido por bater as duas cidades de cabo a rabo, o coletivo faz um percurso gigantesco e faz a alegria de quem quer xeretar lugares sem gastar muito.

ruadaaurora

Rua da Aurora
Na rua mais conhecida de Recife, a beleza dos casarões se une à vista do Capibaribe. O lugar ainda é frequentada pelo público gay, cinéfilos e skatistas.

Rua da Hora
Localizado no bairro do Espinheiro, o endereço é famoso por concentrar um grande número de restaurantes de diversas culinárias.

Rua do Lazer
A rua que cruza a Universidade Católica ao meio é um dos lugares mais legais para estudantes e os aspirantes a grandes profissionais. Mais do que um mero local para lanche, por lá é possível comprar livros ao ar livre e fazer amizades.

REC Produtores
Principal produtora audiovisual da cidade, responsável por longas como Baile Perfumado e Era Uma Vez, Eu Verônica.

Divulgação via ProjetoLambeLambe
Divulgação via ProjetoLambeLambe

Roger de Renor
Agitador cultural, arauto da Soparia e quase uma unanimidade quando o assunto são políticas públicas de comunicação.

Rogerman
Nome importante de Olinda, Rogerman é o responsável pelo Bonsucesso Samba Clube e tem ainda um trabalho autoral que retornou recentemente.

Samico
Gilvan Samico é um dos maiores gravuristas do Brasil. Residente de Olinda, tem obras no MoMA, de Nova York  e é requisitado em eventos internacionais. Ainda segue atuante.

São Luiz (Foto: Tiago Calazans)
São Luiz (Foto: Tiago Calazans)

São Luiz
Um dos mais antigos cinemas do Brasil, o São Luiz resiste ao tempo e ainda oferece exibições e festivais cinematográficos para o delírio dos amantes da Sétima Arte. Fica na Avenida Conde da Boa Vista com a Rua da Aurora.

Shopping Boa Vista
Plantado no coração da cidade, o shopping ferve com a atmosfera LGBT e se consagra como point certo para quem quer fazer compras e paquerar. Na Rua do Giriquiti, 48.

Divulgação
Divulgação

Siba
Ligado à renovação no interesse das pessoas pela cultura popular do Interior de Pernambuco, Siba é hoje um dos mais criativos nomes da cena pop nacional. Seu disco Avante entrou na lista de melhores do ano passado.

Teatro Hermilo Borba Filho
No formato de arena, o teatro é um dos mais simples e sublimes. Fica no Recife Antigo e abriga peças concorridíssimas. Na Rua do Apolo, 121.

Teatro Santa Isabel
Imponente pela presença, delicado pelo tom artístico. Lá todos os festivais começam e terminam. É um dos mais antigos do Brasil e resiste com sua arquitetura original. Fica na Praça da República.

Terça Negra
Realizado no Pátio de São Pedro, o evento exalta a cultura negra em todas as esferas do hip-hop aos ritmos africanos. Para muitos, lá é o lugar ideal para puxar um beck sem medo de ser feliz.

teresa

Teresa da Costa Rêgo
A pintora ficou conhecida por levar para os quadros figuras femininas misteriosas e ao mesmo tempo sensuais. Com 84 anos, ainda segue na ativa como um dos principais nomes das artes plásticas daqui.

Vuco-vuco
As ruas do centro onde é possível encontrar tudo. Até o que não se sabe. Forte comércio popular ainda abriga o Mercado de São José, um dos mais antigos de Pernambuco conhecido pelo artesanato e boa comida.

Foto: Tiago Calazans/Divulgação
Foto: Tiago Calazans/Divulgação

Vitor Araújo
O pianista fez e continua fazendo sucesso com seus sucessos tocados em piano. Hoje, é um dos nomes mais experimentais da cena independente local.

Virtuosi
O festival de música classica faz uma dobradinha de boa música nas igrejas e conventos der Recife e Olinda.

Xinxin da Baiana
O bar nasceu em Jardim Atlântico e hoje faz a folia de quem passa as noites no Carmo. De segunda a segunda a cerveja é sempre gelada e as pessoas sempre suadas.

Foto de abertura: Adam Jones/Flickr

  1. Claudia De Paula Leal Estudei no Maria auxiliadora com a Flavia Gusmao… Recife e Olinda mudaram muito nesses ultimos 23 anos que estou fora. O mais legal de tudo que nao perdeu sua identidade cultural, isso em Pernambuco é o maximo! Beijos Adorei esse guia…
    E, fui vizinha por anos na Madalena de Fafa Lira, dona da Fenix Comic shop

  2. Que porra é essa, um guia gay das cidades feito por enrustidos ou um “Grito” de um braço fraco da ditadura gay que vivemos ? Não é O Grito devia se chamar “O Suspiro”.

  3. Discordei de alguns lugares, outros não conheço mas achei massa. Aos insatisfeitos faça cada um sua lista e pronto. A galera tá viajando pensando que é a eleição da veja Recife, mais tendenciosa e sem hunanimidade impossível.

  4. Tá massa, gostei e aprendi novidades mas senti falta de alguns tradicionais:

    Empório Sertanejo (ficou no bojo de Rua da Hora?) mas merecia um separado. Quem nunca tomou uma saideira nas madrugadas mais improváveis de se achar algo aberto, atire a primeira pedra!

    Mercado da Madalena também é muito bom, principalmente sábados. E tem o morredor até de manhã…

    Tepan? Burburinho? Moeda? Livraria Cultura? Valeu!

  5. “Atualmente o rio (Capibaribe) vive um momento de revi­ta­li­za­ção, com a che­gada de trans­porte cole­tivo e a prá­tica de remo que não para de crescer.”

    Esse momento deve ser um sonho de Rivotril de 10mg. Moro na Rua da Aurora, de frente para o “Cão sem plumas”, e o que vejo é lama e excrementos. Alguns catamarãs ou barcos se arriscam quando a porcaria deixa.
    Outra coisa: reduzir a Boa Vista a classes nomeadas é pura discriminação ou vontade de ser engraçado. Uma fraude pobre.
    E haja pobreza! Tantos para escrever tão pouco e superficialmente…

    1. Oi Helena. Na verdade, o bairro da Boa Vista entrou em vários verbetes, e não só os cinemas gays da região: falamos da Padaria Santa Cruz, Mercado da Boa Vista, Shopping Boa Vista e até de Jomard. Mas, sim, o bairro é bastante frequentado pelo público LGBT, e isso é ótimo. :)

  6. Mudamos o texto no verbete do Iraq para que não pensem que não gostamos do lugar. :) Foi por isso que ele entrou na lista de melhores!

    E quanto a listas, é normal alguns não gostarem. Ela é algo subjetivo, nunca se pretendeu em ser absoluta. Tem muita coisa em Recife e Olinda que não colocamos. E até deixamos isso claro no texto de abertura. Como toda lista, esta nossa é o retrato pessoal de um grupo de pessoas, de um lugar específico, de um momento específico.

  7. Eita MIMIMI desse povo do IRAQ! Tira logo essa bosta da lista! Esse IRAQU é um coco mesmo!!!!
    Xau bando de despeitado!!!

    TIRA TIRA TIRA DA LISTAAA!!!!

  8. Reconheço a boa intenção do site em listar os lugares/pessoas mais legais de ambas cidades, mas acho um excecesso a inserção de alguns nomes e sinto falta de outros, porém, convenhamos, listas nunca agradaram gregos, nem tão pouco troianos, por que agradariam os ‘descolex abusadinhos’ de Recife/Olinda? Qunato ao Iraq, é bem suginho mesmo e, sempre pensei que a proposta da casa era essa, sobre a cerveja, já paguei caro por uma original que estava bem morninha (risos), mas, sendo otimista, prefiro pensar q não tive sorte, servir cerveja quente talvez não seja regra do estabelecimento. Abços!

  9. Eu sei que eu vou pegar no pé de uma linguagem que não se leva a sério, mas não se levar a sério não é desculpa, conforme a ocasião. Tenho tanto nojo de texto babaca para o povo babaquear que perdi meia-hora do meu dia compilando umas merdas até sentir que não dava mais pra mim.

    “sem¬pre muito fri¬en¬dly com o público gay”: desculpe, não falo inglês.
    “a mais impor¬tante gra¬va¬dora/os mais moder¬nos equi¬pa¬men¬tos”: como fazer listas dos melhores: cada melhor é o mais em tudo, apesar de isso acarretar certas contradições ao longo termo.
    “tapi¬oca mais cara da região.” – hm, sacaneando mais gente também, sempre fazendo uso do superlativo absoluto.
    “O baile mais sem pudor”: dã, o…mais…sem….pudor…
    “Tem tam¬bém cafu¬çus e piri¬gue¬tes bem assanhados.” Vou lá com muita camisinha e cds de música erudita moderna.
    “por lá você encon¬tra todas as pes¬soas que real¬mente importam”: como assim?!, mas eu não vou lá há anos!!!!!
    “Inteligente, ousado e polê¬mico”: hm, não faltou nenhum adjetivo? Acho que já vi essa sequência antes. Já vem formatada no office, se não me engano.
    “Lá, todo mundo se conhece”. (em referência a Casa Amarela, o maior bairro do Recife). Fenômeno: o bairro gigante onde TODO mundo se conhece.
    “A melhor, mais sabo¬rosa e mais cre¬mosa maca¬xeira já ser¬vida em todos os tempos.” Pessoal do livro Guiness dos recordes, deixem o mundo em paz, é só ficar plantado numa rua qualquer de nossa região metropolitana que a qualquer momento o mais alguma coisa vai passar bem na sua frente.
    “meio cos¬mo¬po¬lita, mas bem peri¬fé¬rico”: claro.
    “movi¬mento mais popu¬lar da cidade e está impreg¬nado em todas esfe¬ras soci¬ais”: em referência a um vírus que causa a morte em menos tempo, segundo me lembro.
    “O bar/restaurante é point de quem quer beber, con¬ver¬sar, comer, paque¬rar, dis¬cu¬tir, bri-gar, fazer as pazes, arru¬mar ami¬gos, deba¬ter aquela hipó¬tese do dou¬to¬rado, fazer pro¬je¬tos e até tra¬ba¬lhar. Todo mundo, SEMPRE, se vê por lá.”: não sei por onde começar. De qualquer modo, TODO MUNDO,SEMPRE?! Isso inclui a mim?
    “san¬tuá¬rio dos ciné¬fi¬los, o mais bem orga¬ni¬zado da região, seu sobre¬nome deve¬ria ser con-tem¬po¬ra¬nei¬dade, reverenciada em todos os espa¬ços cul¬tu¬rais de Recife e Olinda (sim, eu me lembro de uma vez em que houve um recital de poesia no IRAQ em homenagem à cidadã Quintas), maior bloco de rua do mundo, hoje o lugar mais alter¬na¬tivo da cidade (não se trata do IRAQ, apesar de eu achar bem mais alternativo um lugar em que um sujeito defeca no gelo), talvez a banda mais impor¬tante do pós-mangue (é bom colocar um advérbio de vez em quando para relativizar, né, senão fica parecendo que esse artigo não é sério, né?né?né?), etc etc etc.”
    “O cine¬asta se des¬ta¬cou por mos¬trar um Recife que nin¬guém gosta de ver”: tipo assim o que vocês deixaram de fora?

    “Tudo para man¬ter a áurea do local”. Ah, áurea? Claro, por um momento achei que vocês puseram o termo errado.

  10. Meol deols… quanto comentário odioso… Só faltou Itto californiano vir comentar aqui. Lista é assim mesmo, quem faz a lista pensa nos seus gostos pessoais e em sua experiência de vida. E se o pessoal nunca foi no burburinho? E se o pessoa frequenta ambientes GLBT? É natural que a lista esteja repleta desses nomes.

    Claro que é interessante que as pessoas sugiram outros lugares e que citem aqueles que acreditam que não podem ser citados (mas sem esquecer que as vezes quem faz a lista deixa o óbvio de fora). Imagino se eu fizesse uma lista dos melhores lugares de Pernambuco, acho que minhas 5 primeiras posições Recife nem apareceria… prefiro o interior.

    No mais, achei vários pontos da lista interessantes (tirando Vitor Araújo que é horrível) e que pretendo conhecer ou me informar mais. Acho até que vou entrar na brincadeira e fazer uma lista também. Melhor do que reclamar é ajudar a criar.

  11. quanta intolerancia, listas existem em diversos
    meios de comunicação, parte do olhar do autor.
    Outro site elitista, burgues, heterosexual e
    fundamentalista kkkkkkkkk vcs encontra por ai
    é pesquisar no goooogle minha gente!
    Faz um blog e cria uma lista, publica a lista no face..

  12. E outra coisa, nem todo suburbano é maconheiro, como nem todo jornalista é competente…

  13. Guia tendencioso, faz crer que as únicas baladas da cidade se resume ao cenario GLBT, o que não é verdade, para balada ser boa, tem que ser frequentada por gay o por maconheiro? por maconheiro eu até concordo, brincadeiras a parte, e o DOWNTOWN PUB, balada mais antiga da cidade, só porque é POP não tá na lista, aqui em recife pra vc ser descolado tem que ser no minimo pentasexual…lastimavel

  14. A lista é legal, agora é um pouco tendenciosa, pois fica parecendo que as únicas baladas legais na cidade são as baladas GLBT, não tenho nada contra o público GLBT, porém o melhor do recife não se resume a esse público, existem outras vertentes, tão legais quanto…

  15. A lista é legal, agora é um pouco tendenciosa, pois fica parecendo que as únicas baladas legais na cidade são as baladas GLBT, não tenho nada contra o público GLBT, porém o melhor do recife não se resume a esse público, existem outras vertentes, tão legais quanto…

  16. Melhor lugar do Recife para tomar uma cerveja GELADÍSSIMA e escutar BOA MÚSICA, isso sim é o Iraq. Precisando de ajuda para descrever um lugar ao qual você não conhece, pede ajuda. Você citou varias pessoas na sua “lista” que podem te ajudar, e precisando conta comigo, frequentadora do Iraq que NUNCA viu uma cerveja quente sendo servida, ou o lugar sujo que você citou.

  17. Meu desprezo pelo jornalismo é algo que aumenta a cada dia.
    E o verso de Fred 04, um dos maiores compositores da música brasileira atual, soa para mim a cada dia como uma máxima que não poderá ser modificada: “Jornalistas mortos não mentem”
    Que feio para um site de respeito: calúnia e difamação por questões pessoais… É o desafeto dos sem-ética expresso!!! Ao jornalista com raivinha de mim que tomou as dores por coleguinhas de trabalho só tenho uma coisa a dizer: gente viajada, cansada e enrustida… entra só se for no grito!
    Aproveito o ensejo para dizer que a Luci Alcântara escolheu o IRAQ para comemorar seu aniversário!!! E foi uma noite linda do Dia Internacional das Mulheres que Exigem Respeito por que o texto d’O Grito foi no mínimo ofensivo para a comunidade iraquiana.
    O IRAQ resiste!
    E continuará a ser o lugar onde se escuta a melhor música (e mais bem equalizada), bebe-se cervejas geladas e onde é a maior limpeza mesmo!!!… Mas felizmente só abrimos as portas para os íntimos e não adianta ter a carteirinha de imprensa!!

  18. Amei a lista! Não acredito que tem gente reclamando que as praias não foram citadas, brennand, e ZOOLÓGICOS. Se situem, pfvr. kkkk

  19. Lamentável. Uma matéria desnecessária e ignorante. O que se quer ao referir-se a um lugar com o histórico do “Iraq”, agregador de ideias e base para arte e sua diversidade, da forma desagradável e inconsequente?
    No “Iraq” já produzi eventos, como também já participei com meu projeto sonoro em eventos nelo produzidos. O perfil acolhedor do espaço o faz referencia constante para meus contatos que querem conhecer a capital pernambucana à noite. Assim, vale uma reflexão antes de escrever algo que venha depreciar o trabalho e dedicação dos que estão fazendo do “Iraq” o local onde a cena está sempre aquecida: produtores, artistas, público e toda a família “Iraq”, que dão sentido para as noites no coração do Recife. Não use espaços como esta de forma irresponsável.

  20. Se eu não conhecesse bem o Iraq e dependesse dessa matéria com certeza continuaria sem conhecê-lo! Achei a indicação de um terrível mal gosto e irreal!!! Se não tem apropriação do espaço, não indica! Lamentável.

  21. Qualquer lista de melhores que tenha esse lixo que é o Mombojó não tem a menor credibilidade.

  22. Eva, o Iraq é legal exatamente porque é meio desmantelado e as pessoas que pintam por lá são ótimas. Se lá fosse muito certinho não estaria na lista.

  23. Eu adorei essa lista, claro que sempre vai faltar alguma coisa, afinal Recife hoje em dia tem muitas opções pra todos os gostos.
    Mas fala ai…fiquei curiosa, o que seria uma “fungada retórica”?

    1. Mari, a “Fungada retórica” é quando alguém pontua o final da frase com uma fungada, aquela respirada forte que serve para concordar com o interlocutor. Ou então quando alguém fala alguma coisa puramente retórico. Não conheço ninguém que faz isso além do pernambucano. Em “O Som Ao Redor”, quando Dinho e João conversam na festa de aniversário é possível identificar diversos momentos da “fungada retórica”. Mais neste post: http://neozeitgeist.wordpress.com/2013/01/08/o-som-ao-meu-redor/

  24. Uma ode a diversidade existencial destas duas cidades, palcos históricos de lutas contra as injustiças e desmandos, ventre de uma cultura plural e evocativa da alegria de viver. Retrato fidedigno destes lugares, neste tempo que as vivemos, sorvemos e integramos com nossas almas. Parabéns pessoal pelo belíssimo trabalho/homenagem.

  25. E Brennand, Praias, Teatro Waldemar de Oliveira, Barreto Júnior (dentre outros), Marco Zero, Zoologico, praças e igrejas lindas que Recife e Olinda tem? Foi preguiça e ou falta de conhecimento mesmo?

  26. A lista tá bem legal, porém deixaram de prestigiar excelentes lugares do RECIFE ANTIGO, como a CASA DA MOEDA e o BURBURINHO! Que são bares já tradicionais do Recife!

  27. Não entendi a de vocês!
    Se acharam o Iraq um lugar tão deplorável, porque se deram o trabalho de citá-lo numa matéria com o título “O melhor de Recife e Olinda hoje”?

  28. :) olhaaa as bees do armário reclamando kkk

    O Rec e as zolindas é um mix de coisas malucas
    é muita mistura, muita confusão e tudo segue
    do seu jeito lama e caos e agente pára olha e diz
    oh linda… tem um agito uma efervecencia que dura
    24 horas do dia, o ano inteiro.

    Gostei da lista, das personalidades que tem grande relevancia para nossa cena cultural atráves de grandes empreendedores como Roger de Renor, só pecamos no
    fato de que algumas coisas tem curta duração, fica na historia pelo pioneirismo mas nunca pela tradição do
    tempo de atividade.

  29. Quer dizer que tudo no Recife e Olinda é ligado a LGBT!?
    Deixe de ser hipócrita.
    Vou nem falar do “cafoçu”, até parece que no Recife e em Olinda só tem isso. perdi meu tempo mesmo aqui.

  30. E eu que perdi meu tempo abrindo esse site com essa lista… sinceramente, Recife eh bem mais que isso!!!
    Procurem fazer listas decentes!

Comentários estão fechados.

Leia Mais
Crítica: A Outra Banda da Lua busca novos olhares regionalistas no disco de estreia