Espetáculo Boi Mansinho e a Santa Cruz do Deserto traz história e tradição ao palco

Baseada numa história cearense, peça promove 12 apresentações gratuitas no Espaço Clariô

Foto: Sergio Fernandes. (Divulgação).

O Grupo Clariô de Teatro apresenta o espetáculo Boi Mansinho e a Santa Cruz do Deserto. Com direção de Cleydson Catarina, a peça vai promover 12 apresentações gratuitas no Espaço Clariô, até o dia 11 de dezembro, sempre às 20h. A montagem é baseada no massacre da Irmandade Caldeirão da Santa Cruz do Deserto, localizada no Crato, Ceará. 

A Irmandade de Santa Cruz foi uma comunidade autossustentável, liderada pelo beato José Lourenço, que foi dizimada no primeiro bombardeamento aéreo das Forças Armadas Brasileiras, na primeira metade do século passado. Ao que dizem, o grupo cuidava de um boi da raça Zebu, o qual as autoridades mataram por condenar tal adoração.

A peça faz um paralelo entre a perseguição à irmandade liderada por Zé Lourenço e a narrativa de uma fictícia comunidade de Boi Bumbá, formada na periferia de São Paulo dos tempos atuais, por um dos últimos sobreviventes do Caldeirão, o Mestre Joaquim. Esta comunidade também é atacada pelo Estado, sendo impedida de colocar o Boi na rua. Através de uma narrativa alegórica que segue a estrutura da “liturgia do Boi” (nascimento, batismo, morte e ressurreição), o espetáculo estabelece encontros entre o passado e o presente, com histórias de lutas atemporais.

Serviço:

Grupo Clariô apresenta “Boi Mansinho e a Santa Cruz do Deserto”

De 24/11 a 11/12 | Toda quinta, sexta, sábado e domingo, às 20h

Espaço Clariô

R. Santa Luzia, 96 – Vila Santa Luiza, Taboão da Serra – SP

Entrada gratuita 

Leia Mais
Iara Rennó canta os orixás e celebra Iemanjá no Sesc Pompeia