Estreia: Documentário traz à tona diferentes perspectivas sobre a história e a personalidade de Clarice Lispector

Filme tem pré-estreia aberta ao público nesta quarta (7), no Cinema da Fundação/Porto, no Recife

O longa-metragem é um ensaio documental que mescla trechos de obras com depoimentos da própria escritora e entrevistas com a família e amigos. (Foto: Cartaz/Divulgação).

Dirigido pela pernambucana Taciana Oliveira, o documentário Clarice Lispector: A Descoberta do Mundo busca desvendar questões ainda pouco exploradas sobre a personalidade e a trajetória desta que foi – e permanece – uma das maiores escritoras da literatura brasileira. Com estreia nos cinemas nesta quinta (8), a produção terá exibição especial nesta quarta (7), em uma pré-estreia aberta ao público recifense, no Cinema da Fundação/Porto, às 19h.

Ao longo do filme, trechos do depoimento dado por Clarice Lispector (1920-1977) ao Museu da Imagem e do Som (MIS-RJ), em outubro de 1976, são resgatados e intercalados com relatos inéditos de familiares e amigos da autora e trechos adaptados da sua obra. Outro precioso registro é a participação da escritora no programa Os Mágicos da TV Educativa, em dezembro de 1976, única entrevista gravada em seu apartamento no Leme, zona sul do Rio.

“Na montagem, eu fui costurando esses depoimentos para o MIS querendo que ela contasse a própria história. Eu não queria que só as outras pessoas contassem. Até para romper com esse perfil de que ela era uma pessoa inacessível. Nos últimos anos, ela foi colocada somente nessa perspectiva, mas ela também sorria, ela também brincava”, é o que revela a diretora Taciana Oliveira em entrevista à Revista O Grito!.

Em entrevista à TVE, Clarice Lispector recebeu o jornalista Araken Távora (1931-1991) em seu apartamento no Leme. (Foto: Divulgação).

Ao explorar também a infância de Clarice Lispector no Recife e sua íntima relação com a cidade, o longa descortina um lado da biografia da autora de A Hora da Estrela que muitas vezes é apagado: a dura realidade da família imigrante fugitiva da guerra. “Ela era uma imigrante pobre, mas não entra muito na cabeça das pessoas que ela teve uma trajetória difícil”.

A partir da reunião dos depoimentos de amigos e familiares, A Descoberta do Mundo traz à tona as várias Clarices: a criança, a escritora, a repórter, a mãe, a tia, a amiga. Entre os depoentes estão o filho caçula Paulo Gurgel Valente, a amiga e escritora Nélida Piñon, a amiga e artista plástica Maria Bonomi, além de nomes que já partiram como os escritores Lêdo Ivo (1924-2012) e Ferreira Gullar (1930-2016) e o jornalista Alberto Dines (1932-2018).

Também assina o roteiro, em coautoria com a diretora, a biógrafa Teresa Montero, cuja inclusão como consultora do documentário partiu de um pedido do próprio filho de Clarice Lispector, Paulo Gurgel Valente. “Eu iniciei os trabalhos em 2005, naquela época muita coisa de Clarice circulava de forma equivocada e o Paulo tinha feito esse pedido”, conta a cineasta.

Exibido recentemente na 20ª Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, realizada no último mês, Clarice Lispector: A Descoberta do Mundo entra, a partir desta quinta-feira (8), em cartaz nas cidades de Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Brasília, Ribeirão Preto, Belo Horizonte, Florianópolis, Porto Alegre e João Pessoa. De acordo com a diretora, mais salas devem ainda ser anunciadas e as atualizações podem ser acompanhadas pelo site ou perfil no Instagram do filme.

SERVIÇO:
Clarice Lispector: A Descoberta do Mundo – Pré-estreia no Recife
Local: Cinema da Fundação/Porto – Cais do Apolo, 222 – 16º andar
Data: quarta-feira, 7 de dezembro
Horário: às 19h
Ingressos: entre R$ 7 e R$ 14, via Sympla
Após a sessão, haverá um bate papo sobre o filme com a diretora Taciana Oliveira e a roteirista Teresa Montero, com mediação de Beto Azoubel.

Leia Mais
Calliz lança o trap “Roubei Seu Coração” flertando com o pop e o rap de 1980