O artista recifense expõe sua primeira individual no Castigliani nesta quinta (17), Cloridatro de Sertralina. As obras sãoi todas inéditas e foram realizados durante a temporada do artista em Estocolmo no primeiro semestre deste ano.

A mostra, com curadoria de Bruna Rafaella, é composta por doze pinturas inéditas. “Sosha passeia por um repertório imagético bastante rico. Constrói um universo pop particular, que atravessa o encantamento da civilização egípcia e chega nas passarelas da alta costura contemporânea. Chama a atenção o olhar marcante das figuras humanas e um apreço pela estamparia requintada de vestes e ladrilho. Há elegância, provocação e ironia na sua obra.” comenta, Bruna Rafaella Ferrer, por e-mail.

Sosha (nascido Socrates Alexandre) faz parte de uma geração atual de jovens artistas que usam a internet como um espaço de autonomia e experimentação, como pode ser percebido no seu Instagram, @Museu24h.

Sua história com o desenho e pintura remonta a infância, tendo abandonado um curso de arte aos 15 anos e seguido de maneira autodidata sua pesquisa artística, buscando inspiração em movimentos modernos como o fauvismo e o expressionismo. “A narrativa do meu trabalho vem desde os meus antepassados, desde o nascimento da literatura, da medicina, da arte. Algumas pessoas vêm nós negros como descendentes de escravos. Mas nós somos descendentes de reis e rainhas. Eu pinto no sentido de desmistificar essa premissa.” explica, Sosha.

A exposição “Cloridatro de Sertralina” fica aberta a partir do dia 17 de outubro para a visitação no horário de atendimento do Castigliani, de terça a sexta, das 13h às 21h, sábado e domingos, das 09h às 21h.

O Castigliani Café Parque fica no Estrada do encanamento, 323, Parnamirim. Recife

Sem mais artigos