A série Faça Uma Playlist traz contos inspirados em clássicos musicais de diferentes gêneros, épocas e estilos. Os textos são assinados por Ismael Machado, roteirista e escritor paraense, radicado no Rio de Janeiro, autor do livro Sujando os Sapatos – O Caminho Diário da Reportagem, entre outros. As artes são de Igor Alves, ilustrador e DJ paraense, atualmente residente em Portugal.

Garoava naquele fim de tarde em São Paulo. Eles se preparavam. Ele reclamou- mais uma vez- pela demora dela no banheiro. Ela comentou alguma coisa sobre o bigode dele grande demais. Ele suspirou ao vê-la espalhar perfume em demasia pelo corpo. Ela perguntou se ele não iria passar a camisa. Ele perguntou onde estavam aqueles tênis. Ela argumentou que ele deveria ir com outro calçado. Ele foi colocar comida aos gatos. Ela trocou a areia deles. Ela observou que ele deveria ir de calça comprida e não de bermuda, pois o clima em São Paulo era traiçoeiro. Ele sugeriu que ela lanchasse alguma coisa, pois sabia que a primeira coisa que ela falaria seria sobre fome. Ela pediu um uber, ele queria um táxi. Ela virou os olhos quando ele começou a discursar contra a uberização das coisas. Ele perguntou se os filhos ligaram para ela. Ela disse algo que ele não entendeu. Ele se pôs a olhar a chuvinha pela janela. Ela- como sempre- puxou assunto com o motorista do aplicativo. Ela perguntou sobre os ingressos. Ele apenas olhou e não respondeu. Ele deu as mãos a ela, ajudando-a a sair do veículo. Ela ajeitou o cachecol dele. Ela e ele entraram no estádio. Emocionaram-se juntos, mas em silêncio, quando Paul McCartney subiu ao palco. Ela percebeu uma lágrima nele quando “All My Loving” iniciou. Eles se abraçaram em “Something”. Cantaram a plenos pulmões em “Helter Skelter”. Ele pensou que o coração iria parar em Golden Slumbers. Ela o olhou com carinho e disse ‘é a tua música preferida’. Deixaram em silêncio o estádio ainda com os últimos acordes e frases de The End na cabeça: “And, in the end/ The love you take/is equal to the love you make”. Naquela noite, exaustos, dormiram mais cedo, mas antes, cada um disse ‘eu te amo’. E sabiam que isso era tão verdade quanto trinta e cinco anos atrás.

Leia mais da série:

Leia Mais
MC Tchelinho e Késia Estácio cantam a força e resistência negra em “Pretos No Topo”