Divulgação.
Divulgação.
Divulgação.

Recife recebe ação local do Fashion Revolution Day, um movimento internacional que surgiu após o colapso do Edifício Rana Plaza, que abrigava confecções de roupas em Bangladesh, e desabou no dia 24 de abril de 2013, deixando 1.133 mortos e 2.500 feridos.

O objetivo da campanha é a conscientização sobre os impactos ecológicos e sociais que a indústria da moda vem causando. O “Dia da Revolução da Moda” propõe uma reconexão com as roupas. Perguntando quem fez e de onde vem, será possível estabelecer uma relação mais justa e consciente. O evento quer aumentar a conscientização sobre o verdadeiro custo da moda e seu impacto em todas as fases, do processo de produção ao consumo.

No dia 24 de abril de 2015 (sexta-feira), data que marca o colapso do Rana Plaza, será celebrado o segundo Fashion Revolution Day, em homenagem aos trabalhadores e suas famílias e às mudanças que buscamos para a área da moda. Nessa data acontecerão eventos em 66 países.

O movimento propõe que todos vistam suas roupas ao avesso e perguntem: “Quem Fez Minhas Roupas?”. Esse gesto convida o consumidor a refletir sobre a cadeia de produção e questiona o produtor, exigindo transparência.

No Brasil irão acontecer eventos em oito estados, sendo em São Paulo o evento principal. No Recife a programação segue com um bate-papo que reunirá profissionais da moda como Eduardo Ferreira, Leopoldo Nóbrega, Heloiza Lima Luz, Thiana Santos, Saulo Moura, Mayara Lima Pimentel, Mychelle Jacob, além dos produtores do evento Luciene Vilhena e Nestor Mádenes, e ainda exposição de roupas ao avesso, vídeos entre outras ações.

O evento acontece na Etiqueta Verde Ecomoda, a partir das 18 horas, com produção da S7YLING e apoio do AURORA Eco Fashion.

Leia Mais
DFB reforça personalidade da moda autoral e feita à mão