Festival OLAR valoriza o audiovisual da América Latina com programação gratuita e virtual

A primeira edição do evento vai promover aulas, oficinas e mostras

Uma Paciência Selvagem Me Trouxe Aqui, de Erica Sarmet, é um dos filmes em exibição. (Divulgação).

O Observatório Latino-Americano de Realizadoras (OLAR) vai promover seu primeiro festival de cinema, que começa nesta quarta-feira (16) e segue até o dia 26 de novembro. Através de transmissão de aulas abertas e filmes gratuitamente através da internet, o evento busca viabilizar o cinema latino-americano protagonizado por mulheres.

A iniciativa tem o objetivo de criar um espaço de encontro e diálogo entre trabalhadoras do audiovisual de diversos países, promovendo a construção de memória das realizadoras do cinema da América Latina e a formação de profissionais.

“Nosso objetivo é fazer do OLAR um espaço de troca de conhecimento para que observemos e conheçamos o trabalho umas das outras”, pontuou Cíntia Lima, um a das idealizadoras do festival

A programação conta com oficinas, aulas abertas e mostras de filmes. O longa Hope, Soledad e o curta Las lecciones de Silveria, ambos de direção da cineasta indígena mexicana Yolanda Cruz, Uma Paciência Selvagem Me Trouxe Até Aqui, da carioca Erica Sarmet e O Que os Machos Querem, da paraibana Anna Diniz estarão em exibição.

Yolanda Cruz no set de Hope, Soledad (Divulgação).
O Que os Machos Querem, Anna Diniz. (Divulgação).

Confira a programação completa:

16 e 17/11: 

Oficina de Crítica de Cinematográfica, com Mariana Souza 

Ao vivo, via Google Meet, apenas para pessoas previamente inscritas

20/11: 

Live de abertura do Festival 

No Canal do OLAR no YouTube e no Facebook

Com intérprete de libras e tradução simultânea Portugues/Espanhol

20 e 21/11: 

Mostra Referência Olar – homenagem a Yolanda Cruz (México)

Exibição via streaming no site oficial

– “Hope, Soledad” (2021)

– “Las lecciones de Silveria” (2014)

22 a 26/11: 

Exibição via streaming no site oficial

Mostra Competitiva Sara Gómez

  • Un tipo como tu (Ava, 2022, Cuba, Ficção, 6’11”)
  • O Que os Machos Querem (Anna Diniz, 2021, Brasil, Ficção, 8’35”)
  • La visita (Carmela Sandberg, 2022, Argentina, Ficção, 10′)
  • Casimira (Caro Fuentealba Riffo, 2020, Chile, Ficção, 23’16”)
  • Mis miedos (Claudia Ruiz, 2021, Argentina, Animação, 1’52”)
  • Uma paciência selvagem me trouxe até aqui (Érica Sarmet, 2021, Brasil, Ficção, 26′)
  • Carlos Montaña (Itati Romero, 2022, Argentina, Animação, 7’51”)
  • Estrellas del desierto (Katherina Harder Sacre, 2022, Chile, Ficção, 18’56’)’
  • Soñé con Anna (Luisa Urbina, 2020, Guatemala, Ficção, 9’34”)
  • Chao Fan (Maitena Minella, 2022, Argentina, Ficção, 11’53”)
  • Obachan (Nicolasa Ruiz Mendonza, 2020, México/Japão, Documentário, 15’09”)
  • O Ovo (Rayane Teles, 2021, Brasil, Ficção, 23′)
  • Patuá (Renaya Dorea, 2022, Cuba, Experimental, 3’49”)

Sessão Relatos de Cine

  • Pelas ondas lambem-se as margens (Hyndra, 2022, Brasil, Documentário, 8′)
  • Alicia Armstrong Larraín  (Paula Armstrong Merino, 2022, Chile, Documentário, 30′) 

Sessão Perspectivas Pernambucanas

  • Quando Chegar a Noite, Pise Devagar (Gabriela Alcântara, 2021, Recife, Pernambuco, Brasil, Ficção, 21’24”)
  • Terra preta & Negraíndia (Natália Lopes, 2021, Tracunhaém/Olinda, Pernambuco, Brasil, Videoclipe, 5’46”)
  • Per Capita (Lia Letícia, 2021, Recife, Pernambuco, Brasil, Ficção, 15’14”)
  • Sad Faggots + Angry Dykes Club (Viq Viç Vic, 2020, Recife, Pernambuco, Brasil

Experimental, 3′)

  • Lilith (Nayane Nayse, 2022, Afogados da Ingazeira, Pernambuco, Brasil, Documentário, 15′)

23/11: 

Aula Aberta de Co-produção Internacional, com Mariana Murillo 

Transmissão no Canal do OLAR no YouTube

24/11: 

Aula Aberta de Acessibilidade no Audiovisual, com Danielle França

Transmissão no Canal do OLAR no YouTube

25/11:

Aula Aberta de Olhares Lesbianos – Narrativas de (r)Existências, com Thais Faria 

Transmissão no Canal do OLAR no YouTube

26/11:

Live de encerramento + Premiação da Mostra Competitiva

Canal do OLAR no YouTube e no Facebook 

Com intérprete de libras e tradução simultânea Português/Espanhol.

Leia Mais
Mostra retrospectiva celebra a diversidade da obra de Paulo Bruscky