Gramado 2022: A Mãe, com Marcela Cartaxo expõe caso de desaparecido em ação da PM

A obra é do diretor gaúcho Cristiano Burlan e será exibida no festival, de 10 à 20 de agosto

Cena do filme A Mãe/ Foto: Divulgação

O mais novo filme do cineasta gaúcho, Cristiano Burlan, A Mãe, terá sua estreia no Festival de Gramado, que acontece entre os dias 10 e 20 de agosto. O longa narra a história de Maria, uma mulher nordestina migrante que parte em busca de seu filho, Valdo, desaparecido depois de uma ação da Polícia Militar na comunidade onde viviam.

Contando com a atriz Marcelia Cartaxo no papel de Maria, a obra busca trazer mais visibilidade para a população das comunidades periféricas, além de humanizar as pessoas que a vivenciam. 

Burlan, diretor do filme, passou por experiências dolorosas em sua vida pessoal relacionadas a perdas e transformou isso em uma arte sensível que busca incentivar a luta contra a violência. 

Cena de A Mãe/Foto: Divulgação

“Meu irmão foi assassinado pela polícia em 2001. Dois anos depois, fiz o documentário MATARAM MEU IRMÃO. Em 2012, minha mãe foi morta pelo namorado e em 2017 fiz Elegia de um Crime. Minha história não é uma exceção. A impunidade, o preconceito, a desigualdade, a mídia e os governos transformam essas vidas em números. Mas por trás das estatísticas existem irmãos, amigos, mães e filhos”, explicou Burlan.

Gravado na cidade de São Paulo no ano de 2020, o longa também conta com a atuação de Helena Ignez, Henrique Zanoni, Ana Carolina Marinho, Kiko Marques, Hélio Cícero, Mawusi Tulani, Che Mois, Tuna Dwek, Carlos Meceni, entre outros.

Leia Mais
Dani Nega lança single novo Sai Boy, com participação de Ellen Oléria