Gramado 2022: A Mãe, com Marcela Cartaxo expõe caso de desaparecido em ação da PM

A obra é do diretor gaúcho Cristiano Burlan e será exibida no festival, de 10 à 20 de agosto

Cena do filme A Mãe/ Foto: Divulgação

O mais novo filme do cineasta gaúcho, Cristiano Burlan, A Mãe, terá sua estreia no Festival de Gramado, que acontece entre os dias 10 e 20 de agosto. O longa narra a história de Maria, uma mulher nordestina migrante que parte em busca de seu filho, Valdo, desaparecido depois de uma ação da Polícia Militar na comunidade onde viviam.

Contando com a atriz Marcelia Cartaxo no papel de Maria, a obra busca trazer mais visibilidade para a população das comunidades periféricas, além de humanizar as pessoas que a vivenciam. 

Burlan, diretor do filme, passou por experiências dolorosas em sua vida pessoal relacionadas a perdas e transformou isso em uma arte sensível que busca incentivar a luta contra a violência. 

Cena de A Mãe/Foto: Divulgação

“Meu irmão foi assassinado pela polícia em 2001. Dois anos depois, fiz o documentário MATARAM MEU IRMÃO. Em 2012, minha mãe foi morta pelo namorado e em 2017 fiz Elegia de um Crime. Minha história não é uma exceção. A impunidade, o preconceito, a desigualdade, a mídia e os governos transformam essas vidas em números. Mas por trás das estatísticas existem irmãos, amigos, mães e filhos”, explicou Burlan.

Gravado na cidade de São Paulo no ano de 2020, o longa também conta com a atuação de Helena Ignez, Henrique Zanoni, Ana Carolina Marinho, Kiko Marques, Hélio Cícero, Mawusi Tulani, Che Mois, Tuna Dwek, Carlos Meceni, entre outros.

Leia Mais
Haynna se autoafirma e invoca sua ancestralidade no álbum de estreia Porta do Meu Peito