Filme Paloma conta a história de uma mulher trans que sonha em casar na igreja

Longa tem estreia nos cinemas marcada para o dia 10 de novembro

Kika Sena interpreta Paloma. (Divulgação).

O filme Paloma, de Marcelo Gomes, prepara a chegada aos cinemas no dia 10 de novembro. A produção passa a rodar em circuito após estreia nacional, que acontecerá na Mostra Competitiva de Longas de ficção da Première Brasil do Festival do Rio, entre 6 e 16 de outubro. Protagonizado pela arte-educadora, diretora teatral, atriz, poeta e performer Kika Sena, o longa conta a história de uma mulher trans que trabalha como agricultora no sertão de Pernambuco e sonha em casar na igreja católica com seu namorado.

Marcelo Gomes encontrou inspiração para o roteiro a partir de uma história real, através de uma notícia lida por ele num jornal. A narrativa vai levar Paloma (Kika Sena) a uma jornada de enfrentamento ao preconceito e o conservadorismo para realizar seu desejo, visto que o padre da cidade se recusa a celebrar o matrimônio.

“O filme é uma possibilidade de humanização das corpas trans e travestis, uma perspectiva complexa da vida de uma mulher trans, o que difere do que geralmente é produzido sobre essa temática. Acredito que ele trará muitas discussões a respeito do que consideramos como ‘família’, além de ser um espaço de ocupação dos nossos corpos reais no cinema”, explica Kika Sena.

O filme foi produzido pela pernambucana Carnaval Filmes, em coprodução com a portuguesa Ukbar Filmes, e será lançado em cinemas pela Pandora Filmes. Paloma já teve exibições em festivais internacionais, em cidades como Londres e Huelva, tendo feito sua première mundial no Festival de Munique em julho passado.

Kina Sena e Ridson Reis que interpreta Zé, namorado de Paloma. (Divulgação)
Leia Mais
Paloma, novo longa de Marcelo Gomes, é o vencedor do 24º Festival do Rio