O escritor francês maldito Michel Houellebecq (Foto: Divulgação)
O escritor francês maldito Michel Houellebecq (Foto: Divulgação)
O escritor francês maldito Michel Houellebecq (Foto: Divulgação)

A programação completa da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) foi divulgada nesta quinta (23). O maior evento literário do País acontece de 3 a 7 de julho.

O que se pode perceber é que o evento ficou menos midiático e mais voltado para nomes ligados ao universo da literatura. A curadoria apostou em priorizar escritores em detrimento de estrelas e celebridades como aconteceu em anos anteriores. Este ano a presença de quadrinhos foi bem pequena, sem nenhum grande destaque.

Entre os nomes gringos, um dos mais fortes é Tamim Al-Barghouti, poeta e político egípcio que foi bastante importante para a Primavera Árabe. Seus versos foram declamados durante os protestos e circularam bastante pela web. Hoje, ele vive nos EUA. O controverso Michel Houellebecq, talvez o mais polêmicos dos escritores franceses hoje também foi confirmado. O bósnio Aleksandar Hemon chega na festa em Paraty depois do hype em torno de seu nome após ter seu livro O Projeto Lazarus eleito como melhor de 2008 pela New Yorker, além de uma indicação ao National Book Award.

Outros nomes internacionais: o irlandês John Banville, a franco-iraniana Azam Zanganeh, o norte-americano Tobias Wolff, o noruguês Karl Ove Knausgard e a tradutora Lydia Davis, dos EUA, entre outros. Ao todo serão 18 estrangeiros.

Este ano a Flip dará destaque aos debates sobre arquitetura, com a presença do norte-americano Paul Goldberger e o português Eduardo Souto de Moura, vencedor do Prêmio Pritzker (espécie de Pulitizer para os arquitetos). Fecham nomes de destaque da programação este ano, o músico Gilberto Gil, que abre o evento e Maria Bethânia, que conversa sobre o poeta Fernando Pessoa.

O cineasta Eduardo Coutinho será homenageado pelos seus 80 anos. A outra homenagem deste ano será para Graciliano Ramos.

HQs
Nenhum grande nome internacional dos quadrinhos foi confirmado para este ano. Além disso, as HQs nacionais marcam presença tímida na Flip. Eloar Guazzeli participa de uma mesa na Flipinha, em conversa com Adriana Calcanhoto.

Confira a programação da mesa principal. Para mais informações sobre preços e horário, site do evento.

Dia 3/7, Quarta

19h | conferência de abertura Graciliano Ramos: aspereza do mundo e concisão da linguagem
Milton Hatoum

21h30 | show de abertura
Gilberto Gil

Dia 4/7,  quinta

10h | mesa 1
O dia a dia debaixo d’água
Alice Sant’Anna
Ana Martins Marques
Bruna Beber

12h | mesa 2
As medidas da história
Paul Goldberger
Eduardo Souto de Moura

14h30 | mesa Zé Kléber
Culturas locais e globais
Marina de Mello e Souza
Gilberto Gil

17h15 | mesa 3
Formas da derrota
José Luiz Passos
Paulo Scott

19h30 | mesa 4
Olhando de novo para Guernica, de Picasso
T. J. Clark

Dia 5/7, Sexta

10h | mesa 5
Graciliano Ramos: ficha política
Randal Johnson
Sergio Miceli
Dênis de Moraes

12h | mesa 6
O prazer do texto
Lila Azam Zanganeh
Francisco Bosco

15h | mesa 7
A vida moderna em Kafka e Baudelaire
Roberto Calasso
Jeanne Marie Gagnebin

17h15 | mesa 8
Ficção e confissão
Tobias Wolff
Karl Ove Knausgård

19h30 | mesa 9
Lendo Pessoa à beira-mar
Maria Bethânia
Cleonice Berardinelli

21h30 | mesa 10
Uma vida no cinema
Nelson Pereira dos Santos
Miúcha

Dia 6/7, Sábado

10h | mesa 11
Maus hábitos
Nicolas Behr
Zuca Sardan

12h | mesa 12
Encontro com Eduardo Coutinho

15h | mesa 13
O espelho da história
Aleksandar Hemon
Laurent Binet

17h15 | mesa 14
Os limites da prosa
John Banville
Lydia Davis

19h30 | mesa 15
Encontro com Michel Houellebecq

Dia 7/7, Domingo

11h | mesa 16
Graciliano Ramos: políticas da escrita
Wander Melo Miranda
Lourival Holanda
Erwin Torralbo Gimenez

13h | mesa 17 *
Tragédias no microscópio
Daniel Galera
Jérôme Ferrari

15h | mesa 18
Literatura e revolução
Tamim Al-Barghouti
Mamede Mustafa Jarouche

17h | mesa 19
A arte do ensaio
Geoff Dyer
John Jeremiah Sullivan

18h45 | mesa 20
Livro de cabeceira

 

Leia Mais
Adeus a Lygia Fagundes Telles, imortal da ABL e um dos ícones da literatura brasileira