Como em outros trabalhos da dupla há muitas referências de conflitos entre gangues e cenas bem descritivas de violências das quebradas de Atlanta

A colaboração entre os norte-americanos e segue super afiada nesse novo encontro dos dois em Bandana. O trabalho conta com participações de nomes como Anderson .Paak, Yasiin Bey, Black Thought, Killer Mike e Pusha T. A proposta segue a mesma: trazer um verniz moderno ao hip hop com beats super bem construídos e uma aproximação precisa com o jazz.

Leia mais críticas de novos discos aqui na Revista O Grito!
Novos Sons: mais lançamentos, playlists, clipes e novidades musicais

O produtor Madlib construiu os arranjos de modo a nos transportar para uma atmosfera que lembra trilhas noir. Já Gibbs mantém seu flow super rápido em letras que falam de heróis e vilões, cotidiano das ruas, drogas, amor e riqueza. Como em outros trabalhos da dupla há muitas referências de conflitos entre gangues e cenas bem descritivas de violências das quebradas de Atlanta (caso de “Situations”). Faixas como “Crime Pays” e “Massage Seats” são hits que se conectam com o melhor trabalho da dupla, Piñata, de 2017. Já “Palmolive”, com Pusha T e Killer Mike agrega a melancolia do blues com um rap todo desconstruído.

O disco todo vai construindo sensações como se estivéssemos assistindo a um filme, uma sinestesia que apenas uma produção bem cuidada consegue. Gibbs e Madlib fazem bastante apenas se apropriando do básico do rap: um produtor e um MC levando batida e rimas ao limite. Um dos melhores trabalhos do rap de 2019.

FREDDIE GIBBS E MADLIB
Bandana
[RCA, 2019]

Sem mais artigos