A HQ Cara Caramba Cara Caraô é um projeto de Raul Souza (desenho) e roteirizada por Neco Tabosa que tem como proposta trazer entrevistas com pessoas que circulam por diferentes classes econômicas, em diversos pontos do mundo. A ideia é investigar como anda o consumo de substâncias lícitas e ilícitas nesses tempos de quarentena da epidemia do Covid-19.

Selecionada para produção no 1o Edital de Apoio Emergencial Covid-19 da Escola de Redução de Danos (instagram.com/escolalivrerd) sediada no Recife e com cooperação de entidades internacionais que estudam a redução de danos em usuários de psicotrópicos, os autores encontraram nos recursos da linguagem dos quadrinhos para Instagram as ferramentas para preservar as identidades das entrevistadas e cruzar essas experiências de conseguir e consumir psicotrópicos em tempos de isolamento social. Saiba mais sobre a Escola Livre em https://escolalivredereducaodedanos.org/quem-somos

Parte da história conta como foi fazer a própria HQ via videochamada, as dificuldades para definir o visual das personagens e conseguir conexão de internet com todas elas.

View this post on Instagram

Produções do Edital: REDUÇÃO DE DANOS E DIREITOS HUMANOS – O QUE VIRÁ A @escolalivrerd prazerosamente começou a divulgar as diversas produções e materiais que fazem parte da série online sobre quarentena, direitos humanos e redução de danos, enviados por artistas e ativistas no Edital de Apoio Emergencial. Apresentamos hoje a série em quadrinhos de redução de danos, Cara caramba cara caraô. Cara caramba cara caraô também é o nome de uma música do grupo musical Chiclete com Banana que também é o nome da melhor revista mensal já publicada em português (pt-br) mas faz tempo isso. Essa HQ vai ser publicada ao longo das próximas semanas nos perfis @escolalivrerd e (sempre no dia seguinte) no @hqcaracaramba: começa nessa postagem e sabe Jah quando vai acabar. É que essa duplinha do barulho vai entrevistar quatro usuári_s ao redor do planeta durante a quarentena (duas em Olinda, um no sul da Bahia e uma no Canadá). Aguarde e confira! (T01EP01) No episódio de estreia de Cara caramba cara caraô: Nequinho heroicamente desativa uma fita adesiva anti espionagem capitalista da @google @nsa / o cachorrinho Fluffy, no papel de Raul, enxuga as últimas garrafas de cerveja e fuma como se não houvesse amanhã desenhando com a rapaziada / Nequinho encontra uma baguinha / estamos por volta de abril de 2020, segunda quinzena, marromeno. Quarentena do covid-19 apesar da nova ordem mundial e do governo miliciano / “daqui a pouco não tem mais cabelo pra arrancar” …continua Sobre os autores: @rauiss :: desenha maconha e quase sempre fuma também. Melhor amigo de Neco e padrinho do filho dele (ainda na espera do convite). Se desenhou como cachorro, mas não baba o baseado. @necotabosa :: gosta de pensar que se autoalfabetizou lendo gibi. Vez por outra aceita sua sina de virar personagem em zine. Costuma ser desenhado com um baseado nas mãos ou no bico. #reducaodedanos #direitoshumanos #direitoavida #educaçãoemdireitos #quadrinhos #hq #arte #arteedireitos

A post shared by Cara Caramba Cara Caraô (@hqcaracaramba) on

As pessoas contactadas vão aparecendo ao longo das publicações semanais nos perfis do Instagram e são: uma pernambucana que trabalha vendendo maconha legalizada no Canadá; uma planta ligada à alta hierarquia do candomblé, uma foca/surfista aposentada à força e o ator baiano que interpreta Jesus na Paixão de Cristo que se chapa refletindo sobre o cancelamento das sessões das peças na Semana Santa de 2020. São essas personagens que estarão contando o que pensam, como está sendo buscar estados alterados da mente hoje em dia e imaginam como será viver e se relacionar no mundo pós pandemia.

Veja a reportagem em quadrinho no Instagram.

Leia Mais
Coruja BC1 lança novo EP como terapia para tempos de isolamento