Para celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBTI+ convidamos artistas, editores e demais profissionais ligados aos quadrinhos para indicarem obras com conteúdos ligados à diversidade sexual e de gênero.

HQs do Orgulho
Amanda Miranda indica Lalo, Diana Salu e QueNuncaAcaba
Alexandre Figueirôa indica Bendita Cura
Lima Neto indica O Marido do Meu Irmão
Dandara Palankof indica Estranhos no Paraíso
Mário César indica Renata Nolasco e Ralf König
Carol Almeida indica Fun Home, de Alison Bechdel
Alessandra Costa indica Histórias Quentinhas Sobre Sair do Armário

Estranhos no Paraíso, de Terry Moore
Estranhos no Paraíso, de Terry Moore, começa com um triângulo amoroso: David ama Katchoo que ama Francine. E acaba se desdobrando em uma trama muito maior, envolvendo passados obscuros e o crime organizado. Mas o cerne do gibi nunca deixa de ser as relações entre esses protagonistas. Não chegou a ser o primeiro gibi com uma personagem declaradamente LGBT que eu li; mas para a Dandara de 13 anos que entrou na banca e folheou aquele gibi desconhecido em preto e branco, foi o que despertou maior encantamento. Katchoo sofria pelo amor não correspondido (será?) por sua melhor amiga; mas não por sua identidade (como acontece em muitas histórias). Pelo contrário, sua segurança quanto a seus afetos eram um modelo no qual eu podia me espelhar. Moore tem uma sensibilidade enorme no tratamento de seus personagens e das tramas focadas nas dinâmicas entre eles – além de ser um artista de mão cheia, que faz seu traço e suas composições flutuarem com naturalidade (e beleza) para refletir humor, drama ou tensão. Fico muito feliz por enfim Estranhos estar ganhando o tratamento que merece e (ao que tudo indica) ter sua publicação concluída no Brasil, graças à editora Devir. | Compre.

O Marido do Meu Irmão, de Gengoroh Tagame
O Marido do Meu Irmão, série de Gengoroh Tagame publicada pela editora Panini em dois volumes, conta a história de Yaichi, que vive em Tóquio com sua filhinha Kana. Até que ele recebe a notícia do falecimento de seu irmão gêmeo, Ryoji, que havia se mudado para o Canadá, dez anos antes, e de quem ele havia se distanciado. Pouco depois disso, o marido de Ryoji, Mike, decide visitar o cunhado e a sobrinha. A história gira em torno de descobertas, reflexões e aceitações; e em boa parte do tempo, acaba adotando um tom ligeiramente didático – e justamente por isso acaba sendo o gibi ideal para dar de presente para aquela pessoa que, lá no fundo, ainda nutre algum desconforto com as questões que envolvem a homossexualidade. Não se trata, porém, de uma cartilha. A narrativa é fluida e se aprofunda gradativamente nos sentimentos de cada um dos personagens, forjando com delicadeza os laços e conflitos entre eles. | Compre.

Dandara Palankof é jornalista, editora e tradutora de quadrinhos. É mestra em comunicação e culturas midiáticas pela UFPB com pesquisa sobre representatividade LGBTI+ nas HQs de super-heróis. É editora da revista Plaf. Siga no Twitter.

Leia Mais
Conto: Michê