Para celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBTI+ convidamos artistas, editores e demais profissionais ligados aos quadrinhos para indicarem obras com conteúdos ligados à diversidade sexual e de gênero.


HQs do Orgulho
Amanda Miranda indica Lalo, Diana Salu e QueNuncaAcaba
Alexandre Figueirôa indica Bendita Cura
Lima Neto indica O Marido do Meu Irmão
Dandara Palankof indica Estranhos no Paraíso
Mário César indica Renata Nolasco e Ralf König
Carol Almeida indica Fun Home, de Alison Bechdel
Alessandra Costa indica Histórias Quentinhas Sobre Sair do Armário


Mário César, quadrinista autor de Bendita Cura e curador da Poc Con.

Só Ana, de Renata Nolasco
Renata Nolasco é um dos nomes mais promissores do quadrinho brasileiro atualmente. Em Só Ana (Independente, 2018) ela criou uma super-heroína de uma tribo guerreira chamada Varda que vive em conflito com sua família e tenta viver entre humanos. É um gibi muito bem construído e maravilhosamente bem desenhado no qual a sexualidade dos personagens é mostrada com naturalidade, mas sem ser o foco da trama. A trama é centrada na ação e nos conflitos da protagonista com sua família e com sua identidade secreta. A autora mostra que gibis feitos por mulheres e LGBTQ+s podem ir muito além das caixinhas nas quais tentam enfia-los. Que a Renata alce voos cada vez mais altos. | Compre

E, Agora, Os Noivos Podem Se Beijar!, de Ralf König
No período em que trabalhei na editora Via Lettera, uma das grandes honras que tive foi editar dois livros do autor alemão Ralf König (E, Agora, os Noivos Podem se Beijar e Como coelhos, vencedor do Grand Prix de Melhor História no Festival de Angoulême). Neste livro, König conta a história o casamento de dois de seus personagens mais famosos: Paul e Conrad. Foi a primeira vez que me lembro de ter visto relações homoafetivas e não-monogâmicas sendo tratadas com tanta naturalidade em um quadrinho. E o autor é dono de um humor escrachado e afiado que faz a leitura ser um deleite. | Compre.

Mário César é quadrinista, designer e ilustrador. Autor das HQs Ciranda da Solidão, Púrpura (com Pedro Cirne) e a série Bendita Cura. Três vezes vencedor do Trófeu HQ Mix, Mário aborda vivências LGBTI+ em seus trabalhos. É curador e organizador da POC Con, feira de quadrinhos e cultura pop dedicada ao público LGBTI+. | Twitter. | Site.

Leia Mais
Rapper pernambucano Diomedes Chinaski lança disco de estreia, Crocodiloboy