Às vésperas de completar 70 anos de idade, e contando com mais de 50 deles dedicados à música, lança seu primeiro disco solo, Malandro 5 Estrelas. O multi-instrumentista, cantor e compositor carioca já tocou com artistas como Alcione, Jair Rodrigues e Roberto Carlos e apresenta neste trabalho de estreia toda a expressividade de sua performance.

O álbum, disponível em todas as plataformas de música digitais, é um lançamento do QTV Selo.

Índio da Cuíca nasceu no morro do Borel, na Zona Norte do Rio de Janeiro, em maio de 1951 e teve suas primeiras experiências musicais por influência do pai, Sr. Manoel, fundador da Escola de Samba Unidos da Tijuca. Ainda criança, começou a tocar instrumentos de percussão e logo se apaixonou pela cuíca, que o levou a viver como músico profissional a partir dos 14 anos.

Integrou o conjunto Corda K Samba e a banda Brasil Ritmo, com a qual gravou o LP Balança Povo, em 1972, e atuou em diversos shows e gravações com artistas como Alcione, Dicró, Ivon Curi, Jair Rodrigues, Maria Creuza e Roberto Carlos. Dos anos 70 aos 90, viajou com companhias artísticas lideradas por Joãozinho Trinta e Haroldo Costa em turnês por diversos locais do Brasil e do exterior, tocando em palcos lendários que vão do Canecão ao Olympia de Paris.

Índio tocou com nomes como Alcione, Roberto Carlos e foi solista da Orquestra do Rio de Janeiro. (Foto: Alfredo Alves).

Ainda nos anos 70, Índio se especializou em uma técnica que poucos cuiqueiros ousam praticar: a execução de melodias baseadas no sistema tonal. Tal habilidade lhe credenciou integrar a Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro — OSJR, no início dos anos 2000.

Agora Índio está, finalmente, realizando o antigo sonho de lançar um disco com suas próprias composições, constituídas por suas canções e por peças instrumentais para solo de cuíca. Assim, para além de registrar sua incrível habilidade de dar à cuíca o protagonismo de um instrumento solista, ele se apresenta ao mundo como o artista completo que é.

MV Bill faz a crônica de um Brasil caótico no novo disco, “Voando Baixo”: veja o faixa a faixa

O novo disco de MV Bill, Voando Baixo, chega como uma crônica do Brasil caótico de 2021. O rapper traz doze faixas sobre um país desestabilizado, com letras que soam como um despertar coletivo. O álbum foi gravado em formato híbrido no Rio de Janeiro em Fevereiro de 2021, seguindo os protocolos de saúde pública sugeridos pela OMS. “Mesmo de forma isolada eu quis estar mais próximo do dia a dia das pessoas comuns, e quando você dá um voo […]

Read more

Com direção musical e arranjos de Gabriel de Aquino (vencedor do Grammy Latino de melhor disco com Martinho da Vila em 2016) e codireção do cuiqueiro e pesquisador Paulinho Bicolor, o álbum traz um repertório composto por sambas (“A cuíca chora”, “Cuíca Malandra/Cuíca encantada”, “Sonho realizado”), vassi pra Ogum (“Jogo Medley de Ogum”), calangos (“Stribinaite Camufraite Oraite”), boleros (“Shirley”), capoeira (“Jogo de Malandro”), funk carioca (“Baile do Bambu”) e demais ritmos afro-brasileiros que fazem parte de sua trajetória.

A música de Índio da Cuíca ganhou outra vida pelas mãos dos arranjos de Aquino e de músicos extraordinários como Alaan Monteiro (cavaquinho, bandolim), o próprio Gabriel de Aquino (violão), Luizinho do Jêje (percussões), Pedrinho Ferreira (percussões), Guto Wirtti (baixo acústico, baixo elétrico) e Luiz Otávio (teclados) — além do próprio Índio, cantando e tocando violão, pandeiro, berimbau, reco-reco, cavaquinho e, é claro, sua cuíca.

Malandro 5 Estrelas é um lançamento do QTV, selo que lançou os elogiados últimos trabalhos de Negro Leo e responsável pelo próximo disco solo de Juçara Marçal, e pode ser ouvido em todas as plataformas de música digital.

Leia Mais
Pabllo Vittar inicia nova fase com o forró romântico “Ama Sofre Chora”. Veja o clipe