Foto: Reprodução/Spin.Com
Foto: Reprodução/Spin.Com

Tempos ruins para as duas integrantes das Pussy Riot recentemente libertadas da prisão. Nadzehda Tolokonnikova e Maria Alyokhina foram detidas pela polícia russa quando chegaram em Sochi, cidade onde acontece as Olimpíadas de Inverno, na Rússia.

Leia Mais
Crise entre as Pussy Riot é péssimo para o ativismo Anti-Putin
A viagem das Pussy Riot pelos EUA

Nadzehda postou sobre o ocorrido no Twitter. As duas estavam cerca de 30 quilômetros próximas das instalações olímpicas e foram acusadas de roubarem um hotel da região. Elas foram interrogadas pela polícia local, mas foram logo liberadas.

O marido de Nadzehda, o advogado Pyotr Verzilov, disse à rádio Echo Of Moscow que as duas foram detidas por um oficial do Serviço de Segurança de Fronteira da Federação Russa, uma organização sucessora da famosa KGB. Sete outras pessoas foram presas, incluindo o jornalista Evgeny Feldman, que estava credenciado para cobrir os jogos.

A rádio russa disse ainda que as Pussy Riot foram detidas duas vezes desde que chegaram em Sochi no final de semana. As Pussy Riot estão na cidade para apresentarem a música “Putin Will Teach You to Love the Motherland” e gravar um videoclipe. Elas passaram as últimas semanas em uma turnê pelo mundo para divulgar a organização Zone Of Law, que milita a favor de melhores condições para os presos. Maria e Nadezhda passaram quase dois anos presas depois que foram acusadas de “vandalismo motivado por ódio religioso” por tocarem uma oração punk contra o presidente Vladimir Putin na Catedral do Cristo Salvador, em Moscou. [Via THR]

Leia Mais
Católicos e evangélicos podem decidir o próximo presidente do Brasil