Exibição de Era Um Vez no Oeste, de Sergio Leone, no Janela: Público quer filmes bons, não importa onde (Divulgação)
Exibição de Era Um Vez no Oeste, de Sergio Leone, com sessão lotada (Divulgação)
Exibição de Era Um Vez no Oeste, de Sergio Leone, com sessão lotada (Divulgação)

As vinhetas antes dos filmes sempre foram destaques do Janela Internacional de Cinema do Recife que, vale lembrar, tem um cineasta como organizador (Kléber Mendonça Filho, diretor de O Som Ao Redor). Neste ano, a grande estrela antes da exibição dos curtas e longas é… a mulher do Google.

O festival usou a voz do tradutor do Google para dar um recado sobre uso de celulares na sala do cinema. “Falar ao celular durante os filmes é muito brega”, lembra ela. A tiração de onda é um esforço do Janela em tornar a experiência de ver um filme mais prazerosa, já que hoje os smartphones brigam por atenção no escuro do cinema.

Veja:

Leia Mais
Filme Swingueira acompanha a vida de jovens dançarinos no Ceará