Cena de Iec Long. (Divulgação).

Cena de Iec Long. (Divulgação).

O festival Janela Internacional de Cinema divulgou a seleção de curtas nacional e internacional da edição deste ano. A mostra competitiva traz 44 filmes de 11 países, todos inéditos no Recife. Entre os destaques estão Quintal (Minas Gerais), de André Novais Oliveira, selecionado para o Festival de Cannes 2015, Iec Long (Portugal), de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, exibido no Festival de Berlim deste ano, e The Old Jewish Cemetery (Holanda), última produção do bielorrusso Sergei Loznitsa.

O acontece entre os dias 5 a 16 de novembro.

Este ano 964 trabalhos de 22 países foram submetidos ao processo seletivo, mostrando a força do festival. Destes, foram selecionadas 44 obras de onze países, sendo 23 curtas brasileiros e 21 estrangeiros. Na mostra nacional, participam curtas de nove estados e do Distrito Federal. De Pernambuco, foram selecionados dois trabalhos: A Clave dos Pregões, de Pablo Nóbrega (selecionado da Mostra de Tiradentes em 2014, além do Festival Internacional de Curtas de São Paulo deste ano) e Superquadra-Sací, de Cristiano Lenhardt, destaque em importantes mostras de videoarte, como o Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil.

A Outra Margem, produção do Mato Grosso dirigida por Nathália Tereza, prêmio de direção no último Festival de Cinema de Brasília; e Lembranças de Mayo, de Flávio C. von Sperling, curta também mineiro que fará sua estreia nacional na programação do Janela, são alguns outros destaques.

Quintal, selecionado para Cannes. (Divulgação).

Quintal, selecionado para Cannes. (Divulgação).

Entre os filmes internacionais, há um domínio das produções portuguesas, com seis títulos ao todo. Exibido no Festival de Berlim deste ano, Iec Long, de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata (parceiros em longas como O Fantasma, de 2000, e A Última Vez que Vi Macau, de 2012), apresenta-se como uma das sessões mais aguardadas. Mas também marcam presença títulos com novos olhares, premiados mundo afora, a exemplo da produção inglesa A Field Guide to the Ferns, da diretora de origem palestina Basma Alsharif, uma das surpresas na Berlinale deste ano, e o russo The Shadow of Your Smile, de Alexei Dmitriev, um trabalho de três minutos de duração que atrai por sua experimentação fílmica.

The Old Jewish Cemetery, novo de (Divulgação).

The Old Jewish Cemetery, novo de Sergei Loznitsa (Divulgação).

Há, ainda, expectativa pela mais nova produção do diretor bielorrusso Sergei Loznitsa, conhecido mundialmente pelo longa Na Neblina, com o documentário The Old Jewish Cemetery (Holanda), de 2014. Os curtas vão competir nas categorias melhor som, montagem, imagem e melhor filme. Veja abaixo a lista dos selecionados.

Curtas-nacionais
A Clave dos Pregões (Pernambuco), de Pablo Nóbrega
A Festa e os Cães (Ceará), de Leonardo Mouramateus
A Invenção da Noite (Paraná), de Tomás von der Osten
A Outra Margem (Mato Grosso do Sul), de Nathália Tereza
Biquini Paraíso (Ceará), de Samuel Brasileiro
Cidade Nova (Ceará/Distrito Federal), de Diego Hoefel
Command Action (São Paulo), de João Paulo Miranda
De Terça pra Quarta (Ceará), de Victor Costa Lopes
E (São Paulo), de Alexandre Wahrhaftig, Helena Ungaretti e Miguel Antunes Ramos
Estudo de Persistência (Paraná), de Krefer
História de Abraim (São Paulo), de Otavio Cury
Imóvel (Rio de Janeiro), de Isaac Pipano
Lembranças de Mayo (Minas Gerais), de Flávio C. von Sperling
Macapá (Maranhão), de Marcos Ponts
MoBios (São Paulo), de Carlos Eduardo Nogueira
No Dia em que Lembrei da Viagem a Bicuda (Rio de Janeiro), de Vitor Medeiros
Outono Celeste (Rio Grande do Sul), de Iuri Minfroy
Outubro Acabou (Rio de Janeiro/Portugal), de Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman
Quintal (Minas Gerais), de André Novais Oliveira
Rapsódia para o Homem Negro (Minas Gerais), de Gabriel Martins
Retrato de Carmen D. (Rio de Janeiro), de Isabel Joffily
Submarino (São Paulo), de Rafael Aidar
Superquadra-Sací (Pernambuco), de Cristiano Lenhardt

Curtas Internacionais
A Glória de Fazer Cinema em Portugal/The Glory of Filmmaking in Portugal (Portugal), de Manoel Mozos
A Field Guide to the Ferns (Inglaterra), de Basma Alsharif
Caravan (Austrália), de Keiran Watson-Bonnice
Cinema (Portugal), de Rodrigo Areias
Coro dos Amantes/Chorus (Portugal), de Tiago Guedes
Estratos de la Imagen/Strata of the Image (Espanha), de Lois Patiño
Fora da Vida/On the Side (Portugal), de Filipa Reis e João Miller Guerra
Fuligem/Soot (Portugal), de David Doutel e Vasco Sá
Iec Long (Portugal), de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata
I’m in Pittsburg and It’s Raining (EUA), de Jesse McLean
La Fin du Dragon/The Dragon’s Demise (França), de Marina Diaby
La Impresión de una Guerra/Impression of a War (Colômbia), de Camilo Restrepo
Livreur/Delivery (Bélgica), de Vladilen Vierny
Par ce Chemin Descendent les Ombres/Shadows (França), de Didier d’Abreu
Riot (EUA), de Nathan Silver
The Old Jewish Cemetery (Holanda), de Sergei Loznitsa
The Shadow of Your Smile (Rússia), de Alexei Dmitriev
The Vast Landscape (Croácia), de Lea Vidakovic
Under the Heat Lamp an Opening (EUA), de Zachary Epcar
Wayward Fronds (EUA), de Fern Silva
Why? (Israel), de Nadav Lapid

Sem mais artigos