Kleber Mendonça Filho na premiação do Janela. (Divulgação).
Kleber Mendonça Filho na premiação do Janela. (Divulgação).
Kleber Mendonça Filho na premiação do Janela. (Divulgação).

Futuro Junho, da brasiliense Maria Augusta Ramos, e o romeno O Tesouro, de Corneliu Porumboiu foram os vencedores entre os longas do Janela Internacional de Cinema do Recife. A premiação aconteceu no domingo (15) em um evento bem informal no Orbe Coworking, no Centro do Recife. Na categoria de curtas, os prêmios principais foram para o mineiro Lembranças de Mayo, de Flávio C. von Sperling, e o australiano Caravan, de Keiran Watson-Bonnice. Mais de 19 mil pessoas frequentaram sessões no Cinema São Luiz, Cinema da Fundação e Cinema do Museu, um recorde de público.

O longa de Maria Augusta também levou menção honrosa do Janela Crítica e o prêmio de melhor longa pela Associação dos Blogs de Cinema de Pernambuco (ABC/PE). O romeno Corneliu Porumboiu, com seu longa O Tesouro (Comoara, Romênia, 2015), ganhou em duas categorias pelo júri oficial (prêmio especial e melhor imagem) e, ainda, foi eleito o melhor longa pelos jurados do Janela Crítica.

 “O Tesouro”, de Corneliu Porumboiu.
“O Tesouro”, de Corneliu Porumboiu.

Ainda na competição de longas, o prêmio de melhor som foi para Mate-me Por Favor (Brasil, Argentina, 2015), da diretora carioca Anita Rocha da Silveira; e o de melhor montagem, para Dead Slow Ahead (Espanha, França, 2015), do espanhol Mauro Herce. O júri de longas decidiu conceder uma menção especial a quatro jovens atores da novíssima safra de talentos do cinema brasileiro: Alyne Santana, de Boi Neon (Brasil, Uruguai, Holanda, 2015), dirigido por Gabriel Mascaro; Ariclenes e Júlia Bernat, de Aspirantes (Brasil, 2015), com direção de Ives Rosenfeld; e Valentina Herszage, de Mate-me, por favor.

Instituído pelo Janela desde a edição do ano passado em homenagem ao amigo e crítico baiano falecido em 2014, foi concedido ao longa português Visita ou Memórias e Confissões, autobiografia de 1982 do mestre Manoel Oliveira, falecido em abril deste ano, o Prêmio João Sampaio para Filmes Finíssimos que Celebram a Vida.

Curtas

O júri de curtas nacionais elegeu o mineiro Lembranças de Mayo, de Flávio C. von Sperling a melhor na categoria. O júri oficial também concedeu prêmios para Submarino (São Paulo, 2014), de Rafael Aidar (melhor imagem); Outubro Acabou (Brasil, Portugal, 2015), de Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman (melhor montagem); Quintal (Minas Gerais, 2015), de André Novais Oliveira (melhor som); e E (São Paulo, 2014), de Alexandre Wahrhaftig, Helena Ungaretti e Miguel Antunes (menção honrosa/especial).

Na Competição Internacional de Curtas, o júri premiou o australiano Caravan (2014), de Keiran Watson-Bonnice, como o melhor do festival. A melhor imagem foi para o colombiano La impresión de uma Guerra (2015), de Camilo Restrepo; o melhor som para The Old Jewish Cemetary (Letônia, Holanda, 2014), de Sergei Loznitsa; a melhor montagem para I’m in Pittsburg and it’s raining (EUA, 2015), de Jesse McLean; e, ainda, menção honrosa de melhor ator para Lamine Diaby, por La Fin du Dragon (França, 2015), da diretora Marina Diaby.

Em parceria com o Canal Curta!, também foi concedido aos dois curtas A Festa dos Cães (Ceará, 2015), de Leonardo Mouramateus, e A outra margem (Mato Grosso do Sul, 2015), de Nathalia Tereza (eleito o melhor curta pelo júri da Associação dos Blogs de Cinema de Pernambuco- ABC/PE, junto com De Terça Pra Quarta, de Victor Costa Lopes), o Prêmio de Aquisição do Canal Curta!.

Lista completa dos premiados do VIII Janela Internacional de Cinema do Recife

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS:

Melhor Longa: “Futuro Junho”, de Maria Augusta Ramos
Prêmio Especial: “O Tesouro”, de Corneliu Porumboiu
Melhor Montagem: “Dead Slow Ahead”, de Mauro Herce
Melhor Imagem: cena final da caixa de “O Tesouro”, de Corneliu Porumboiu
Melhor Som: “Mate-me, Por Favor”, de Anita Rocha da Silveira
Menção Especial para melhor ator: Alyne Santana, de “Boi Neon”, de Gabriel Mascaro; Ariclenes e Júlia Bernat, de “Aspirantes”, de Ives Rosenfeld; e, Valentina Herszage, de “Mate-me, por favor”, de Anita Rocha da Silveira.

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTA-METRAGEM INTERNACIONAL:

Melhor curta internacional: “Caravan” (Austrália), de Keiran Watson-Bonnice
Melhor Imagem: “La impresión de una Guerra” (Colômbia), de Camilo Restrepo
Melhor Som: “The Old Jewish Cemetary” (Letônia, Holanda), de Sergei Loznitsa
Melhor Montagem: “I’m in Pittsburg and it’s raining” (EUA), de Jesse McLean
Menção especial para melhor ator: Lamine Diaby, por “La fin du dragon” (França), de Marina Diaby

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTA-METRAGEM NACIONAL:

Melhor curta nacional: “Lembranças de Mayo”, de Flávio C. von Sperling
Melhor imagem: “Submarino”, de Rafael Aidar
Melhor montagem: “Outubro Acabou”, de Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman
Melhor Som: “Quintal”, de André Novais Oliveira
Menção Honrosa/Especial do Júri: “E”, de Alexandre Wahrhaftig, Helena Ungaretti e Miguel Antunes

PRÊMIO JANELA CRÍTICA:

Melhor curta nacional: “De terça pra Quarta”, de Victor Costa Lopes
Melhor curta internacional: “Coro dos Amantes”, de Tiago Guedes
Melhor Longa: “O Tesouro”, de Corneliu Porumboiu
Menção Honrosa: “Futuro Junho”, de Maria Augusta Ramos
PRÊMIO ABC (Associação dos Blogs de Cinema de Pernambuco- ABC/PE):
Melhor Longa: “Mate-me por favor”, de Anita Rocha da Silveira
Melhor Curta: “De Terça pra Quarta”, de Victor Costa Lopes; e “A Outra Margem”, de Nathalia Tereza
PRÊMIO ABD (Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas de Pernambuco – ABD/PE):
Curta “Quintal”, de André Novais Oliveira
PRÊMIO FEPEC (Federação Pernambucana de Cineclubes)
Curta “História de Ibraim”, de Otavio Cury

PRÊMIO DE AQUISIÇÃO DO CANAL CURTA!
Curtas “A festa e os cães”, de Leonardo Mouramateus, e “A outra margem”, de Nathalia Tereza

PRÊMIO JOÃO SAMPAIO PARA FILMES FINÍSSIMOS QUE CELEBRAM A VIDA
“Visita ou Memórias e Confissões”, de Manoel de Oliveira (in memoriam)

Leia Mais
Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore torna franquia Harry Potter mais opaca