Foto: Caroline Bittencourt/Divulgação.

Foto: Caroline Bittencourt/Divulgação.

O jornalista recifense radicado em Brasília, lança nesta quarta (17) o romance ensaístico , sobre seu avô, o inventor e cineasta Pedro Teófilo Batista (1929 – 1989). O lançamento será no Cinema da Fundação Joaquim Nabuco (aka Cinema da Fundação), às 17h.

Pedro Teófilo Batista foi aviador de formação, repórter cinematográfico, arquiteto autodidata, cineasta e inventor. Trata-se de uma obra literária que mistura biografia com autobiografia, onde aquele que escreve trata do outro e de si mesmo.

O título se refere ao cinema sonhado por Pedro Teófilo, ou seja, os filmes por ele idealizados, ou ao Cinema Olympia, arché (princípio) da família, sonhado pelo autor no seu resgate, ou aos filmes que fazem parte da memória afetiva da família, como um sonho ancestral coletivo. O livro trata do cinema como forma criadora do imaginário. O cinema é a linha que liga biógrafo e biografado.

Josias é também diretor de cinema. Seu primeiro curta-metragem, Quarteto Simbólico, foi exibido em mais de 20 festivais e mostras do país e integrará a coletânea de DVDs Antologia do Cinema Pernambucano.

O livro sairá pela Editora Lavra, recém criada por Wagner Carelli – criador das revistas República e Bravo! e da editora W11, que publicou os livros de Paulo Francis. O preço será R$ 20.

josias2

Sem mais artigos