, do aposta na diversidade do groove nacional em seu primeiro álbum solo, o conceitual ikê maré. O trabalho já está disponível em todas as plataformas digitais.

A palavra que dá nome ao primeiro disco solo de Júlio Andrade (vocalista e guitarrista do The Baggios), representa, segundo o imaginário do artista, “uma força da natureza que rege o tempo, uma entidade que simboliza sabedoria, virtudes e ensinamentos que o tempo nos traz.”

Ikê maré é, também, um estado de espírito, em constante transformação, a incessante busca por caminhos diversos na vida, conquistados a partir do conhecimento que o tempo oferece, pode ser pela arte ou pela convivência humana.

O conceito reverbera em música, entre 13 faixas, com a fusão do soul, do funk e psicodelismo da música brasileira. Essa fusão de ritmos ainda abre espaço para o baião, desert blues e música folk.

“Minha necessidade com a música foi justamente fazer algo mais segmentado neste sentido, com um conceito amarrado das temáticas e das texturas. As músicas se complementam”, comenta Julico.

Leia Mais
The Cribs traz o comediante John-Luke Roberts no clipe de “Never Thought I’d Feel Again”