Kanye West compra rede social conservadora Parler

Rapper, que mudou seu nome para Ye, vem realizando diferentes declarações racistas e antissemitas

Foto: Reprodução/Instagram.

Kanye West irá comprar a empresa Parlement Technologies, responsável pela rede social Parler, conhecida por sua associação com o público conservador. A companhia norte-americana anunciou nesta segunda (17) que a transação já está em andamento e a expectativa é que o negócio seja concluído no quarto trimestre deste ano. O valor da aquisição não foi revelado.

O rapper Kanye West, que no ano passado trocou seu nome legalmente para Ye, vem realizando diversas declarações ultraconservadoras, racistas e antissemitas nos últimos meses. Ele, que no passado já se mostrou apoiador do ex-presidente Donald Trump, foi censurado no Twitter e Instagram após suas últimas postagens.

West usou uma camisa com os dizeres “vidas brancas importam”, um deboche com o lema “vidas negras importam”, que pede o fim da violência policial contra negros. A sua última declaração racista foi dizer que George Floyd, símbolo na luta por igualdade racial nos EUA, não teria sido morto pela polícia.

A Parler se apresenta como uma “rede social da liberdade de expressão”. “Em um mundo onde as opiniões conservadoras são consideradas controvérsias, nós precisamos ter certeza que teremos os direitos de nos expressar livremente”, disse Kanye, sobre a compra do app, em nota.

Leia Mais
2º Salão de Beleza celebra potências e ausências da arte plástica pernambucana