Um clube de leitura apenas para discutir obras lésbicas. Esta é a proposta do , um encontro mensal que reúne mulheres para debater sobre obras literárias e audiovisuais assinadas por lésbicas ou com personagens lésbicas.

Em atividade há dois anos, o clube, que foi criado em São Paulo, já se expandiu para cidades como Guarulhos, Salvador, Curitiba e agora está chegando no Recife.

De acordo com Sol Guiné, uma das idealizadoras, a iniciativa foi bem aceita entre as mulheres da capital paulista e o crescimento do clube tem sido bastante significativo. “Agora, com dois anos, e vendo que tá crescendo cada vez mais e assim, vemos a importância da nossa luta por disseminar a literatura lésbica.”, conta. Em média, os encontros em São Paulo reúnem cerca de 20 meninas e acontecem num clima de respeito e também descontração. “Discutimos partes que marcaram no livro ou filme e como isso afeta a gente no nosso dia-a-dia, vira uma rede de apoio”, destaca a idealizadora.

No Recife, o encontro também surge da necessidade de conectar as vivências de mulheres lésbicas e bissexuais. Aqui, o clube será mediado pela jornalista Isabela Caldas e pela historiadora Lorena Taulla, que estão cheias de expectativas para a primeira reunião.

“Apesar de no Recife já existirem coletivos e movimentos que discutem e lutam pelos direitos e visibilidade de mulheres lésbicas e bissexuais, nós desejávamos construir um espaço onde a arte fosse o principal lugar de partida para discutir nossas vivências”, conta Lorena.

Isabela ressalta a visibilidade trazida pelo clube. “Debater autoras lésbicas é um ato de resistência, uma luta por visibilidade. É algo que precisa fazer parte das nossas vivências também, porque lemos e assistimos tantas coisas produzidas por homens e muitas vezes esquecemos as nossas”, diz a jornalista.

Aqui, os encontros não terão um local certo para acontecer, mas o primeiro já tem data: dia 19 de outubro. Na primeira reunião, a obra debatida será a série para Instagram Rebu – A egolombra de uma sapatão quase arrependida, produzida pela designer e videasta Mayara Santana. O mini documentário, com sete curtos episódios, trata sobre as vivências e relacionamentos da diretora.

A estreia no Recife irá acontecer às 16h na Maumau Galeria, que fica no bairro do Espinheiro, Zona Norte da cidade. O encontro contará com a exibição de todos os episódios da série e em seguida, acontecerá um bate papo com a diretora do mini documentário. O evento é gratuito.

A Maumau Galeria fica na Rua Nicarágua, 173 – Espinheiro.

Sem mais artigos