Lia de Itamaracá resgata a esperança de tempos melhores na nova faixa “Dorme, Pretinho”

A composição é assinada pela Rainha da Ciranda em parceria com Beto Hees

Lia preserva a tradição da ciranda desde os anos 1970. (Foto: Ytallo Barreto/Divulgação).

A partir do desespero que viu nos olhos da sua gente e da intranquilidade com o futuro, Lia de Itamaracá lançou a nova faixa “Dorme, Pretinho”, que traz uma mensagem de aconchego e amparo para o público. Celebrando a chegada de 2023, a canção é uma resposta revestida de poesia musical para todo o sofrimento provocado pelos últimos quatro anos de um projeto político que causou grande dano para sua comunidade na Ilha de Itamaracá e para todo o país.

A composição, assinada pela Rainha da Ciranda em parceria com Beto Hees, é uma adaptação da canção da argentina Mercedes Sosa intitulada “Duerme Negrito“. Em ambas as versões, mães e filhos estão ligados pela fragilidade e beleza da existência. Se, por um lado, a necessidade de subsistência é inevitável, a ternura que os une é ainda mais necessária.

O lançamento chega ao público acompanhado de um videoclipe. Na produção, imagens da praia, das redes onde as mães ninam seus filhos e de uma Lia etérea se alternam no embalo da voz grave, mas acolhedora da Rainha da Ciranda: “Dorme, dorme pretinho, que mamãe está pescando, pretinho. Dorme, dorme Maria, que mamãe está pescando, Maria”.

Quando a música termina, temos a oportunidade de conhecer quem são aquelas pescadoras: mulheres fortes, que aprenderam na infância a arte de pescar ostras, mariscos e caranguejos com seus pais, e passam a tradição para seus filhos. A mãe de Lia, Matildes, também foi uma delas. Ambas são representadas no clipe que, na verdade, se conecta com outras mães, em todo o Brasil.

Leia Mais
Exposição sobre línguas indígenas ganha exposição virtual